Futebol - ( - Atualizado )

Sporting acusa Fla e Corinthians de "marketing" e fala em medidas legais

Lisboa (Portugal)

Criticado pelo Corinthians, pelo Flamengo e pelo pai de Elias, Eliseu Trindade, o Sporting reagiu em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, que regula as transferências dos times portugueses. O clube de Lisboa criticou o comportamento dos clubes brasileiros na negociação pelo meio-campista, acusando-os de jogar para suas respectivas torcidas com a falsa impressão de que poderiam pagar o preço exigido.

“A Sporting SAD entende que há indícios de que nem o Flamengo nem o Corinthians tiveram em tempo algum capacidade financeira para adquirir o atleta, pretendendo sempre chegar a acordo para um simples empréstimo. Parece assim tratar-se na realidade de uma manobra de diversão e de uma operação de marketing junto dos associados dos seus respectivos clubes, prejudicando gravemente a Sporting SAD e o jogador Elias”, diz trecho do texto.

Flamengo e Corinthians conversaram com os portugueses na tentativa de contratar o atleta de 29 anos até a última terça, quando se fechou a janela de transferências internacionais para o futebol brasileiro. Desistiram, dizendo que as exigências aumentaram de última hora e tomaram proporções inaceitáveis.

Divulgação/Agência Corinthians
O volante Elias queria ter Mário Gobbi como chefe, o que não aconteceu (foto: Daniel Augusto Jr. - 19/11/10)
Sem ser aproveitado no Sporting, Elias ficou bastante chateado por não retornar ao Brasil. No comunicado transcrito abaixo, a diretoria da agremiação alviverde põe o volante como vítima das equipes brasileiras, dá detalhes de sua versão das negociações e ameaça medidas legais.

Confira o texto na íntegra:

"A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, vem prestar esclarecimentos sobre as negociações levadas a curso até à madrugada de 02 de Abril de 2014 e que conduziram à não concretização da transferência do jogador Elias Mendes Trindade.

O Jogador Elias Mendes Trindade foi emprestado ao Club de Regatas do Flamengo (“Flamengo”) no período de Janeiro a Dezembro de 2013, ficando no contrato de empréstimo definida uma cláusula de opção de compra dos seus direitos desportivos por um valor de 15 milhões de euros.

Em Outubro de 2013, a Sporting SAD estabeleceu um acordo de intenções com Eliseu Trindade, na qualidade de representante do jogador e da empresa detentora dos direitos de imagem deste último, com o intuito de concretizar a transferência do jogador Elias para um clube brasileiro no período de transferências seguinte por montantes situados entre 3 e 6 milhões de euros acrescidos da transferência de um jogador do Clube que viesse a concretizar a compra, para os 50% dos direitos económicos detidos pelo Sporting.

Em Dezembro de 2013 o Flamengo manifestou interesse na aquisição dos direitos desportivos do jogador, tendo apresentado, ainda antes da abertura da janela de mercado de inverno, uma proposta no valor de 1,5 milhões de euros.

Wallim Vasconcelos, dirigente do Flamengo e Eliseu Trindade, sabendo do valor da proposta, semearam e empolaram publicamente, através dos meios de comunicação social, outros valores, muitas vezes superiores aos da proposta efetuada, indiciando uma prática de desinformação e manipulação do mercado, condicionando o negócio.

Acrescem ainda as afirmações de Wallim Vasconcelos em que o jogador Elias só iria para o Flamengo e que o negócio estaria já fechado: «O atleta está acertado há mais de um mês,…O Flamengo fez uma proposta excelente para ele, e acreditamos que fizemos uma proposta justa para o Sporting» (Fonte: www.futnet.com.br em 30/12/2013, às 21h32).

A situação descrita anteriormente - negociar com o jogador, antes do período definido nos regulamentos internacionais, sem permissão da Sporting SAD, fora dos termos autorizados - consubstancia uma prática ilegal ao nível desportivo.

Ainda no mesmo período de transferências, o Flamengo reiterou a sua proposta financeira anterior no valor de 1,5 milhões de euros, ainda longe dos valores mínimos aceitáveis pela Sporting SAD e muito longe do valor do direito de opção existente. A partir daqui seguiu-se a mesma prática anteriormente verificada, indiciando uma manipulação de informação, com divulgação pública de valores inflacionados, sem qualquer correspondência com a proposta real, condicionando o negócio e afastando outros interessados que julgariam que os valores propostos seriam muito mais elevados do que eram na realidade.

Posteriormente, por informação de Eliseu Trindade, depois confirmada pela Sporting SAD através do empresário Jorge Mendes, foi conhecido que o Fundo Quality Football Ireland, Limited (“QFIL”), entidade com quem a Sporting SAD se encontra em regime de associação económica, detendo 50% dos direitos económicos do jogador, iria aceitar a troca dos referidos 50% por direitos económicos de outros jogadores do plantel do Flamengo, de forma direta ou indireta. O negócio acabou por não se concretizar devido aos valores diminutos da proposta do Flamengo, a pagar à Sporting SAD.

Entretanto a Sporting SAD recepcionou uma proposta firme, por parte de um clube asiático, no valor de 7,3 milhões de euros, tendo a Sporting SAD sido informada que o valor que o atleta iria auferir seria na ordem dos 6 milhões de USD/ano, a qual foi liminarmente rejeitada por Eliseu Trindade.

Como culminar da estratégia de pressão sobre a Sporting SAD, com vista a que esta aceitasse a proposta do Flamengo, o Sporting é ameaçado por representantes do jogador com uma queixa na FIFA e na UEFA, com o fim último de obter uma rescisão do contrato de trabalho desportivo existente.

No decurso da janela do mercado brasileiro que agora terminou foram desenvolvidas negociações não só com o Flamengo mas também com o Sport Club Corinthians Paulista (“Corinthians”).

Contrariamente ao que sempre afirmara, o Flamengo comunicou à Sporting SAD que não tinha qualquer acordo com o fundo QFIL, condição esta que sempre fora um dos pressupostos do negócio. Face à situação revelada, a Sporting SAD propôs ficar com percentagens de direitos económicos de jovens jogadores, para que no futuro pudesse vir a ser ressarcida, no valor que teria de pagar ao fundo QFIL, num montante que ascende a 3,85 milhões de euros.

A proposta apresentada pelo Flamengo foi agora de 4 milhões de euros, pagos em quatro partes iguais, sendo a primeira até dia 4 do corrente mês de Abril, e as seguintes em Março de 2015, 2016 e 2017 e prestando garantias apenas a posteriori. Face a estas condições a Sporting SAD rejeitou liminarmente a proposta e o continuar das negociações, decidindo manter a queixa que anteriormente apresentara junto da FIFA.

A proposta do Corinthians evoluiu de um pedido de empréstimo até um valor base com o pagamento de 4 milhões de euros, sendo que as condições de pagamento seriam de 1 milhão de euros até ao final do corrente mês de Abril e os restantes 3 milhões de euros em parcelas mensais iguais até Março de 2015. Dado que esta proposta não tinha subjacente o acordo com o fundo QFIL, condição necessária para a concretização do negócio, a Sporting SAD utilizou a mesma solução que anteriormente avançara com o Flamengo, propondo ficar com percentagens de jogadores do clube para fazer face ao valor a pagar ao fundo.

Às 22h00 (GMT), de 1 de Abril de 2014, foram dadas por encerradas as negociações com o Corinthians, em virtude deste se ter recusado a resolver a questão do fundo, ou em alternativa, aceitar a solução proposta pela Sporting SAD, vindo mesmo a regressar à sua proposta inicial de empréstimo do jogador.

Pelas 24h00 (GMT) reiniciou-se o processo negocial, tendo a Sporting SAD abdicado dos direitos dos jogadores, mas para espanto da Sporting SAD, a proposta de 4 milhões euros que tinha sido apresentada pelo Corinthians foi alterada para 3 milhões de euros passando o pagamento a ser realizado em 4 anos.

Às 03h00 (GMT), de 2 de Abril de 2014, o Corinthians comunicou à Sporting SAD que a sua oferta seria novamente de 4 milhões de euros mantendo-se o pagamento em quatro anos.

Pelas 03h30 (GMT) o Corinthians alertou a Sporting SAD que se recusava a prestar garantias nos moldes que tinha anteriormente proposto, ficando em definitivo afastada a possibilidade da transferência. As alterações sucessivas e incompreensíveis introduzidas não permitiam cumprir, em tempo útil, as formalidades necessárias antes do encerramento do mercado, pelas 04h00 (GMT).

Face ao exposto, a Sporting SAD entende que há indícios de que nem o Flamengo nem o Corinthians tiveram em tempo algum capacidade financeira para adquirirem o atleta, pretendendo sempre chegar a acordo para um simples empréstimo. Parece assim tratar-se na realidade de uma manobra de diversão e de uma operação de marketing junto dos associados dos seus respetivos clubes, prejudicando gravemente a Sporting SAD e o jogador Elias.

Face a este comportamento e aos prejuízos deliberadamente provocados, as entidades referidas serão alvo das medidas legais que a Sporting SAD entenda por bem adotar.

A Sporting SAD, em defesa dos seus legítimos interesses, decidiu diferir a divulgação pública das negociações, designadamente ao ter recusado comentar as falsas notícias que circulavam na comunicação social.

Lisboa, 03 de Abril de 2014

O Conselho de Administração"

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade