Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Agente aceita produtividade e aposta que Wesley renovará com Verdão

São Paulo (SP)

Em meio ao apelo de jogadores para Wesley renovar com o Palmeiras, o empresário do volante fez publicamente uma aposta tranquilizadora. Hugo Garcia se mostrou aberto a discutir um contrato por produtividade, com salário fixo menor que o usual e prêmios maiores, e prevê que o vínculo será prorrogado.

“Teremos outras conversas e creio que vamos ter um desfecho positivo”, disse Hugo Garcia à rádio Globo, negando-se, porém, a estipular um prazo para a conclusão das conversas. “Estamos em um processo para poder atender o que o Wesley quer, que é renovar. O Palmeiras também quer isso e buscamos os números para chegar ao acerto, mas não é uma coisa que se resolve em uma semana. É dentro do que esperamos.”

De qualquer forma, o que parecia um empecilho já não é mais visto como obstáculo. “Na Alemanha, o Wesley tinha contrato de produtividade. Isso é bem aberto, não tem nada contra a produtividade. Só precisamos ver qual tipo de produtividade será colocada. Não dá para falar o que vai acontecer”, avisou.

O agente disse já ter discutido com a diretoria sobre o contrato de produtividade, uma imposição do presidente Paulo Nobre. Nos bastidores, no entanto, comenta-se que a principal dificuldade nas conversas, iniciadas há cerca de dois meses, é exatamente o valor oferecido ao jogador de 26 anos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Volante está vinculado ao Palmeiras até fevereiro e pode assinar pré-contrato a partir de agosto para sair de graça
Hugo Garcia, entretanto, avisou que não recebeu ofertas de Grêmio ou São Paulo, como se especulou, e diz só negociar com o Verdão. “Tenho que encaminhar o que tenho na mão, e o que tenho hoje é a intenção do Palmeiras e do Wesley de renovar. Se chegarmos a um acordo com o Palmeiras, vamos renovar.”

Embora converse sobre renovação, a diretoria liberará o meio-campista caso chegue uma boa proposta financeira. O clube não pagou nenhuma parcela da compra do jogador, feita em 2012, deve mais de R$ 20 milhões ao fiador, tem verbas bloqueadas na Justiça por conta do caso e, a partir de agosto, o jogador está livre para assinar pré-contrato e sair de graça em fevereiro.

Hugo Garcia, porém, já antecipou que não pretende fechar com algum europeu para atuar no ano que vem sem o Verdão receber nada. “Um pré-contrato com uma equipe europeia só valeria em julho do ano que vem, porque o contrato dele com o Palmeiras termina em fevereiro e a janela demora para abrir. Ele ficaria sem jogar, o que não é benéfico. Nem penso nessa possibilidade agora”, falou o empresário.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade