Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Aidar faz 49 conselheiros e sai na frente para suceder Juvenal

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Foi menos folgado do que de costume, mas, como nas outras eleições da era Juvenal Juvêncio, o grupo político de situação do São Paulo teve a maioria dos votos para o Conselho Deliberativo. Em um pleito recorde, realizado neste sábado, com pouco 3.004 votos válidos, a chapa liderada por Carlos Miguel Aidar ficou com 61,71% (ou 49) das 80 cadeiras renováveis a cada seis anos.

A disputa é uma prévia do pleito presidencial, marcado para 16 de abril. Nele, Aidar concorrerá com Kalil Rocha Abdalla, candidato da oposição, para suceder Juvenal, que encerrará um período de oito anos no poder, com três mandatos consecutivos e quatro títulos (três brasileiros seguidos e um da Copa Sul-americana). São os 80 conselheiros eleitos neste sábado mais outros 155 vitalícios que definirão entre um ou outro.

Em 2008, quando houve 2519 sócios votantes (e 2493 votos válidos) na eleição do Conselho, foi registrada a maior diferença entre situação e oposição na história do clube. O grupo no poder recebeu 77,66% dos votos e, portanto, elegeu 62 conselheiros. Os oposicionistas eleitos foram apenas 18 (22,34%). Poucos dias depois daquela ocasião, Juvenal derrotou Aurélio Miguel por 147 votos a 64.

O sistema de votação para conselheiros é complexo. Primeiramente, o associado escolhe uma das duas chapas (a amarela "Avança São Paulo", de situação, ou a vermelha "SPFC Forte", de oposição). Depois disso, exclusivamente dentro da legenda selecionada, assinala até 40 dos 120 listados por cada lado. Não se pode votar em candidatos da situação e da oposição ao mesmo tempo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
A chapa liderada por Carlos Miguel Aidar ficou com 61,71% (ou 49) das 80 cadeiras renováveis a cada seis anos
Fechadas as urnas, a apuração revela a quantidade percentual de votos das chapas e a quantas cadeiras cada uma delas terá direito. A partir daí, a definição dos nomes dentro de cada chapa se dá um a um, alternando entre números de matrícula e quantidade individual de votos - o primeiro eleito é o sócio mais antigo da chapa, seguido do que recebeu mais votos, e assim sucessivamente.

Neste sábado, durante a contagem, iniciada às 17 horas, houve discussão entre dois adversários. Um situacionista gritou "Vai, Setúbal", em referência a José Luiz Setúbal, candidato que concorrerá com Kalil ao cargo de provedor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, também em 16 de abril. Denis Ormrod, da oposição, irritou-se com a provocação e teve que ser contido. Mais cedo, a secretária do comitê de Kalil, Solange Blanco, teve o rosto ferido por uma lata arremessada em sua direção, e o suposto agressor, que vestia uma camisa da situação, foi encaminhado à delegacia.

Assim que anunciada no alto-falante a vitória de Aidar, os membros da situação carregaram o candidato nos braços e gritaram seu nome repeditamente. Juvenal Juvêncio também foi lembrado.

Números finais da eleição:

Total de votos: 3.025
Votos válidos: 3.004
Votos nulos: 1
Votos em branco: 20
Chapa amarela: 1.854
Chapa vermelha: 1.150

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade