Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Altitude e Strongest acabam com o sonho do Atlético-PR na Libertadores

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes La Paz (Bolívia)

A altitude boliviana fez mais uma vítima na Libertadores da América. Desta vez foi o Atlético Paranaense que não teve fôlego para segurar o The Strongest, que acabou com o sonho rubro-negro no Grupo 1 com uma vitória por 2 a 1, em La Paz. Nem mesmo o reencontro do Imperador com as redes foi suficiente para impedir o primeiro brasileiro de ser eliminado na edição 2014.

Depois de aguentar a pressão do Tigre com uma sequência de defesas espetaculares, aos 38 minutos, Weverton tirou a bola da área e entregou nos pés de Soliz, que levantou para Manoel testar contra o próprio patrimônio e balançar as redes. O empate veio aos 47 minutos, com o Imperador, que mostrou o velho oportunismo. Na segunda etapa, aos nove minutos, Soliz, por cobertura, fez o segundo.

Agora, o Furacão terá tempo para uma intertemporada visando a Série A do Campeonato Brasileiro, próximo compromisso que começa neste primeiro semestre, e, na sequência, sua entrada na fase final da Copa do Brasil. Se a pressão iniciada pelo torcedor após a derrota em casa para o Vélez crescer, a permanência do técnico Miguel Ángel Portugal pode estar comprometida.

O jogo – Com Adriano como a principal novidade, o Furacão formou seu ataque com o Imperador mais avançado, pelo meio, com Ederson e Marcelo aparecendo pelas pontas. A primeira tentativa de ataque foi do Tigre, aos três minutos, com Soliz, que abriu espaço para o arremate e praticamente recuou para Weverton. Com a vantagem do empate, o goleiro atleticano já tentava ganhar tempo, irritando o torcedor boliviano. Aos oito minutos, Sueliton tomou o primeiro amarelo por cera.

A primeira grande descida do Furacão aconteceu aos 10 minutos, com Ederson recebendo na área, cortando para o meio e fuzilando para fora. O Rubro-Negro, depois de começar mais recuado, começou a sair mais para o jogo. Aos 15 minutos, Mirabaje cobrou falta na área, o ataque tentou abrir espaço e ficou sem a bola. Ederson balançou as redes aos 21 minutos, passando inclusive pelo goleiro, mas o árbitro anotou o impedimento e anulou o lance.

O Strongest criou uma boa jogada aos 23 minutos, com Escobar, que cruzou na medida para Reynoso desviar pela linha de fundo. Na base do toque de bola os bolivianos tentavam envolver o Atlético. Aos 31 minutos, Pablo Escobar tentou surpreender em cobrança de falta e Weverton afastou o perigo. Aos 35 minutos, um milagre, com Reynoso entrando pelo meio da defesa e, na cara do gol, chutando para grande defesa de Weverton.

O goleiro salvava o Furacão do massacre. Aos 37 minutos, Reynoso fuzilou no ângulo e o arqueiro foi buscar. Mas, na sequência, Weverton afastou da área e a bola sobrou para o cruzamento Soliz. No desespero, Manoel fez contra. Mancando, Adriano teve sua primeira oportunidade aos 46 minutos, testando por cima da meta. Até que, aos 47 minutos, Adriano, sim, o Imperador, mostrou oportunismo e aproveitou cruzamento de Marcelo para estufar as redes e marcar seu primeiro gol com a camisa rubro-negra, o primeiro desde que deixou o Corinthians em fevereiro de 2012.

Para a segunda etapa, nenhuma modificação nas equipes e mesmo Weverton, que sentiu tontura e formigamento, retornou revigorado pelo tubo de oxigênio no vestiário. O Strongest tomou a iniciativa e tentava dar velocidade ao jogo – algo que só interessava a ele. Tentando segurar o ímpeto do adversário, Miguel Ángel Portugal tirou Ederson, que não escondeu a insatisfação, para a entrada de Zezinho. Isso com oito minutos. Porém, um minuto depois, Soliz entrou pela lateral da área e com uma cavadinha venceu Weverton para marcar o segundo.

AFP
Solíz comemora o seu segundo gol: o jogador deu um toque com categoria para vencer o goleiro Weverton

O gol obrigou o Atlético a entrar novamente no jogo e buscar o ataque. Aos 18 minutos, Mirabaje levantou na área e Manoel, desta vez para o lado certo, cabeceou para fora. A equipe brasileira tocava bem, mas não conseguia penetrar na defesa boliviana, que esperava para armar o contra-ataque, como aos 28 minutos, com Reynoso servindo Escobar, que no carrinho perdeu a chance de matar o jogo.

A essa altura o cronômetro era o maior adversário do Furacão, que também já mostrava queda de rendimento com alguns jogadores com evidente cansaço. Aos 36 minutos, Parada lançou na área e Natanael se esticou bem para afastar o perigo. Com o jogo se encaminhando para o final, Miguel Ángel apostou na entrada do atacante Crislan no lugar de Paulinho Dias. Sem efeito. Escobar, aos 47 minutos, quase fez o terceiro, com liberdade. Honrando seu nome, pelo menos na noite desta terça-feira, o The Strongest foi o mais forte.

Vélez vence e confirma liderança – O Vélez Sarsfield nem precisou colocar todos os seus titulares em campo para superar o Universitario, saco de pancadas do Grupo 1 da Copa Libertadores por um magro 1 a 0, em casa.

O único gol da partida foi marcado pelo atacante Nanni, que já havia perdido um pênalti no primeiro tempo.

Assim, o Vélez, com 15 pontos na primeira fase, tem a chance de ter a melhor campanha da primeira fase, o que só não acontecerá se o Santos Laguna, que tem 13 pontos, vencer seu último jogo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade