Futebol/ Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Arruda é o ‘reforço’ do Santa Cruz para voltar a vencer

Recife (PE)

O Estádio do Arruda receberá os próximos três jogos do Santa Cruz. Dois serão pela Série B, contra o Paraná, na próxima sexta-feira, e no dia 10 de maio, diante do Luverdense. Só que antes de enfrentar o Verdão do Matro Grosso, o Tricolor recebe o Lagarto-SE, no dia 7, em jogo de volta pela primeira fase da Copa do Brasil. No primeiro encontro, o Santa venceu por 1 a 0, em Itabaiana.

O Tricolor de Recife começou mal a segunda divisão. Empatou por 1 a 1, em casa, com o ABC, e repetiu o mesmo placar contra a Porguesa, no Canindé, no último sábado. Por isso, a necessidade de conquistar vitórias diante de sua torcida se tornou tão importante.

Para o meia Carlos Alberto, o Santa Cruz tem que saber usar o fator casa para conquistar suas primeiras vitória no campeonato e passar à segunda fase da Copa do Brasil. Mas para isso, o armador quer pensar jogo a jogo. “Temos que usar o fator campo. Fizemos um bom jogo contra a Portuguesa, mas não vencemos. Chegou o momento de voltar a conquistar vitórias. Vamos por etapa. Primeiro, o nosso foco é o Paraná. Depois temos de pensar na Copa do Brasil e só depois no Luverdense”, opinou em entrevista concedida no Arruda.

Carlos Alberto ainda garantiu que não pediu ao técnico do Santa Cruz, Vica, para não duelar diante do Salgueiro, pelo Pernamucano, e contra o ABC, pela Série B. Segundo o jogador, uma viagem a São Paulo foi o motivo pelo qual não disputou as paridas. “Na minha carreira nunca pedi para ficar de fora de uma partida. Após o jogo com o Sport conversei com Vica, pois tinha de resolver assuntos particulares em São Paulo. Mas voltei e fiquei treinando na academia. É claro que uma eliminação daquela mexeu com o nosso grupo. Agora, passou. É preciso olhar para frente. É o que estamos fazendo”, explicou o meia.

Divulgação/Santa Cruz F.C.
O meia Carlos Alberto aposta na força da torcida tricolor para bater os rivais em casa

Preocupações

Depois de passar por uma crise renal, em São Paulo, o técnico Sérgio Guedes realizou normalmente o treino da última segunda-feira. O treinador passou mal após a partida contra a Lusa.

Em São Paulo, o comandante foi levado a um hospital e não retornou com a delegação. Chegou a Recife na segunda, pela manhã, e fez o treino à tarde, com duração de 60 minutos.

O atacante Flávio Caça-Rato e o meia Renatinho foram poupados do treinamento. O primeiro está com uma lombalgia. Enquanto o segundo está com a taxa de CK alta, enzima que detecta a possibilidade de uma lesão muscular.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade