Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Atlético-MG e Corinthians abrem campanha sem gols em Uberlândia

Uberlândia (MG)

O Corinthians conseguiu o que buscava no Parque do Sabiá, em Uberlândia. Pontuar era a meta estabelecida pelo técnico Mano Menezes – algo que ficou claro em suas substituições –, e o empate por 0 a 0 com o Atlético-MG só não foi mais comemorado porque Guerrero perdeu um gol na pequena área no finalzinho.

Apesar do placar, não foi ruim a estreia dos alvinegros no Campeonato Brasileiro. As duas equipes tocaram bem a bola, com Diego Tardelli e o estreante Petros orquestrando as ações ofensivas, mas os goleiros apareceram bem nos momentos em que as defesas foram superadas e mantiveram o placar zerado.

Os atleticanos reclamaram de um pênalti cometido por Luciano, no primeiro tempo, e os corintianos pediram penalidade máxima de Pierre no lance em que Guerrero parou em Victor, já nos minutos derradeiros. Queixas à parte, cada time deixou o estádio com um ponto que não considerou muito insatisfatório.

Finalizada a estreia, o Atlético-MG dá atenção à Copa Libertadores, abrindo na próxima quarta-feira, na Colômbia, o confronto das oitavas de final com o Nacional. O Corinthians, que já teve um mês de preparação, ganha mais uma semana até a partida contra o Flamengo, no domingo, no Pacaembu.

Bruno Cantini/CAM
O atacante Guilherme finaliza uma das boas jogadas do Atlético-MG paradas pelo goleiro Cássio
Em busca do espaço
O Atlético-MG teve de se virar sem Jô, preservado por causa de dores na coxa direita. Entrou Guilherme, que se revezou de maneira inteligente com Diego Tardelli no comando ataque. Tardelli foi habilmente buscar a bola na intermediária com frequência e dali orquestrou o time mineiro no primeiro tempo, já que Ronaldinho não apareceu.

Já o Corinthians contava com a movimentação de Jadson e a boa presença do estreante Petros. Assim como o adversário, a equipe de Mano Menezes trocava passes em busca do espaço, tentando desestabilizar a marcação e criar oportunidades mais claras para balançar a rede.

Nesse jogo de paciência, a primeira chance foi do Atlético, em ótimo passe de Tardelli para Guilherme, que parou em Cássio. Do outro lado, Victor também saiu bem após toque de Fábio Santos para Luciano. A partir dos 15 minutos, as defesas se ajustaram melhor, e o perigo ficou um pouco mais restrito às bolas paradas.

Cleber recebeu batida de Jadson e errou o cabeceio, culpando o braço erguido de Otamendi e pedindo pênalti. Mais razão teriam os atleticanos se reclamassem de toque de mão de Luciano em batida de falta de Ronaldinho. O atacante levou o cotovelo em direção à bola e a desviou para escanteio.

Desse tiro de canto, saiu um lance perigoso, tendo Cássio a rede balançada pelo lado de fora. Do outro lado, Petros recebeu de Guilherme, achou o espaço na intermediária e só não marcou um golaço no chute forte porque Victor, bem colocado, saltou para impedir que a bola entrasse em seu ângulo direito.

Bruno Cantini/CAM
Tardelli teve uma das boas chances do segundo tempo, saindo na cara de Cássio e batendo por cima
Atlético-MG melhor até a entrada de Guerrero
O Atlético-MG voltou melhor para o segundo tempo. Com participação discreta de Romarinho e ruim de Luciano, o Corinthians não conseguia segurar a bola na frente, e os donos da casa – ou quase isso, já que o time de Belo Horizonte cumpria punição e não jogava na sua cidade – ocupavam o campo de ataque com grande frequência.

Tardelli teve grande chance de abrir o placar aos dez minutos, em contra-ataque puxado por Fernandinho, e, na cara de Cássio, bateu por cima. Pouco depois, foi a vez de Fernandinho aparecer na frente do grande goleiro corintiano, que usou sua envergadura para evitar o drible.

Mano Menezes percebeu as dificuldades e trocou Luciano por Guerrero. Foi óbvio o crescimento da equipe com a entrada do peruano. Logo na sequência, em jogada com participação dele, a bola foi tocada por Jadson a Petros, que cortou a marcação e bateu à direita.

Houve equilíbrio nos minutos finais, com Paulo Autuori apostando em Marion e Neto Berola. Satisfeito com o resultado, Mano trocou Jadson e Guilherme por Zé Paulo e Bruno Henrique. Mesmo assim, esteve perto de comemorar a vitória já nos instantes finais.

Aos 43 minutos, Romarinho recebeu um lançamento de Cássio na direita e deu um passe por cima para Guerrero, que dominou no peito e jogou a bola para a entrada da pequena área. Apertado por Pierre, que tentou se agarrar ao atacante, o peruano bateu em cima do goleiro e reclamou de pênalti. Ele não foi atendido, e o placar seguiu zerado.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade