Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Atlético-MG vê 'xará' marcar no fim e sai em desvantagem nas oitavas

Medellín (Colômbia)

O ataque do Atlético-MG segue sem funcionar. O Galo foi até Medellín nesta quarta-feira, para duelar contra o Atlético Nacional, no estádio Atanásio Girardot, e acabou derrotado por 1 a 0, gol de Cárdenas nos acréscimos, placar que vai forçar os brasileiros a vencerem no Horto. O Paulo Autuori até surpreendeu na escalação para deixar a equipe mais ofensiva, mas não obteve êxito.

O treinador escalou Réver, com Otamendi deslocado para a lateral, dando liberdade para os atacantes. A escalação de Réver pegou até os roupeiros do Atlético-MG de surpresa, já que o capitão da equipe usou uma camisa sem o escudo alusivo a conquista da Libertadores de 2013, que foi utilizada pelos demais companheiros.

O jogo de volta entre Atlético-MG e Atlético Nacional será realizado no dia 01 de maio, no Independência. Mas antes de voltar a pensar na Libertadores, o Galo terá que concentrar forças no Campeonato Brasileiro já que no domingo visita o Grêmio, em Porto Alegre.

O jogo – O Atlético-MG iniciou a partida sem se intimidar com o Atanásio Girardot lotado, e manteve o duelo equilibrado nos primeiros minutos, com as duas equipes se estudando bastante. Após a fase de análises, o time da casa passou a ter mais posse de bola, mas com dificuldades para ultrapassar as linhas de marcação alvinegra.

AFP
Cardenas acertou um belo chute de perna esquerda nos acréscimos do segundo tempo e garantiu a vitória
Taticamente, o técnico Paulo Autuori surpreendeu ao escalar Réver, deslocando Otamendi para a ala direita. Na prática, essa mudança deu mais liberdade para Fernandinho e Tardelli, que jogaram abertos pelas pontas, enquanto Otamendi e Emerson Conceição ficaram na cobertura, sem avançar muito.

A jogada armada pela equipe brasileira quase surtiu efeito aos 15, quando Ronaldinho lançou Fernandinho na ponta esquerda, o atacante cruzou rasteiro para a área, mas Jô chegou um pouco atrasado no lance. Aos 19, o Atlético Nacional deu a resposta com Duque, que ganhou de Réver pelo alto, mas a cabeçada foi pela linha de fundo.

Em número de finalizações, o time colombiano chegou mais, mas a grande maioria das conclusões em gol saíram sem direção. Aos 28, o time alviverde realmente levou perigo com Cárdenas, que encontrou espaço para cabecear dentro da área atleticana, obrigando Victor a fazer grande defesa mandando para escanteio.

Após este lance, o Atlético Nacional passou a pressionar mais, acuando os brasileiros em alguns momentos. A estratégia de esperar o erro adversário para encaixar o contra-ataque funcionou pouco para o Galo, que falhou bastante na troca de passes. Autuori chegou a inverter posições no ataque alvinegro, mas sem muito sucesso.

AFP
Apesar dos aplausos da torcida colombiana, Ronaldinho não conseguiu ajudar o Galo a buscar um resultado melhor
A pressão que não aconteceu no começo do jogo apareceu no retorno dos times para o segundo tempo. A equipe de Medellín partiu com tudo para cima do Galo, forçando o goleiro Victor a fazer grandes defesas evitando a abertura do marcador no Atanásio Girardot. Sem conseguir encaixar um bom contra-ataque, os alvinegros tiveram dificuldades na transição de bola.

Tardelli, Fernandinho e Jô tiveram que recuar para ajudar na marcação já que o Galo pouco agrediu aos colombianos. Com as linhas bem compactadas, o Atlético-MG conseguiu controlar a pressão, forçando o time de Medellín a arriscar de fora da área, com pouco êxito nos arremates. Na melhor chance, Cárdenas obrigou Victor a mandar para escanteio.

Errando demais do meio-campo para a frente, a postura do time do Atlético-MG irritou muito ao técnico Paulo Autuori, flagrado em vários momentos com gestos de insatisfação. O castigo para o futebol ruim do Galo veio aos 46 minutos com chute de Cárdenas da entrada da área, sem chances para Victor, decretando o revés alvinegro.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade