Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Botafogo pode perder atletas se não quitar salários atrasados

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

No último domingo o elenco do Botafogo completou dois meses sem receber salários e não existe uma previsão de quando os vencimentos serão colocados em dia. Com diversas penhoras e bens bloqueados, o presidente Maurício Assumpção vem trabalhando no sentido de encontrar receitas para contornar o problema. Porém, o caso pode se tornar ainda mais complexo a partir do dia 5 de maio, quando o Alvinegro estará ameaçado de perder diversos atletas na Justiça.

Pelo acordo entre a diretoria e os jogadores, o pagamento deve ser depositado até o dia 20. Porém, pela legislação trabalhista, que rege os contratos dos jogadores, inclusive, o pagamento deverá ser feito até o quinto dia do mês. Dessa maneira, oficialmente o Botafogo completará três meses de salários em atraso no dia 5 de maio e, dessa maneira, os atletas poderão procurar a Justiça para conseguir a liberação de forma unilateral, sem que o clube consiga impedir a rescisão contratual.

Essa semana, Maurício Assumpção tem alguns encontros importantes com botafoguenses influentes no sentido de abrir algumas portas que permitam o clube quitar pelo menos um dos salários e evitar esse desmanche na Justiça. Abertamente a diretoria sequer comenta o assunto, mas não conta mais com a boa vontade do plantel. Além disso, os dirigentes ficaram "queimados" com o plantel por conta da suposta dispensa do zagueiro Bolívar, que seria liberado justamente por ser um dos líderes dos protestos em General Severiano. O jogador chegou a ser comunicado que não faria mais parte dos planos da diretoria, mas acabou permanecendo por conta da pressão de outros atletas de peso do elenco.

Divulgação/Botafogo F. R.
O goleiro Jeferson seria um dos líderes do elenco do Botafogo. Jogadores estão insatisfeitos com a diretoria

Os atrasos salariais do Botafogo têm gerado constantes notícias. Antes do jogo contra o Unión Española, do Chile, pela Copa Libertadores, os jogadores ficaram os primeiros minutos de vários treinos de costas para o gramado, protestando contra a diretoria. A derrota de 1 a 0 para os chilenos acabou sendo vista pela torcida como falta de interesse e o quadro piorou com a eliminação na Copa Libertadores.

A insatisfação dentro do grupo só aumentou daquele período para cá e a contratação do atacante Emerson Sheik, que vai onerar ainda mais a folha de pagamento, só trouxe ainda mais discórdia. Isso porque agentes de outros atletas do elenco passaram a exigir de Maurício Assumpção as mesmas garantias bancárias dadas ao atleta que estava no Corinthians.

“Sobre o Emerson Sheik a gente acredita que o presidente sabe o que fez, pois ele não vai querer, para ganhar um jogador, perder trinta. O Sheik foi muito bem recebido pelo grupo. Sobre os problemas financeiros, o presidente conversou conosco e disse que vai conseguir resolver o problema. Confiamos nele”, afirmou o goleiro Jéfferson, um dos líderes do elenco ao lado de Bolívar e do volante Marcelo Mattos, em entrevista à Rádio Globo.

O Botafogo volta a campo no domingo, em partida contra o Internacional, no Maracanã.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade