Futebol - ( - Atualizado )

Entrega simbólica de arena tem afago a Andrés e homenagem a mortos

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

O Corinthians recebeu seu novo estádio da construtora Odebrecht de maneira oficial na manhã desta terça-feira – a cerimônia, realizada na própria arena, foi simbólica, já que as obras ainda não terminaram. Andrés Sanchez, principal articulador da empreitada, ganhou afagos de Mário Gobbi, atual presidente do clube, e lembrou os três operários que faleceram.

“A emoção é muito grande. Ficamos tocados e comovidos com esse ato simbólico. O Corinthians recebe da Odebrecht a sua casa. É uma casa particular, privada. O clube vai pagar por essa obra (com orçamento estimado de R$ 950 a 990 milhões). Vamos continuar trabalhando junto com a construtora, porque ainda há um trecho a percorrer”, disse Gobbi.

Em placas entregues a Mário Gobbi e Andrés Sanchez, a construtora se disse “honrada por entregar a obra ao Corinthians e à sua fiel torcida”, embora a construção ainda esteja inacabada. A situação não diminuiu o entusiasmo do atual presidente, que usou a maior parte de seu discurso para elogiar o antecessor.

“Quero cumprimentar o meu amigo, companheiro de muitas lutas no Corinthians desde os idos de 2002, a quem deleguei poderes irrestritos, ilimitados. Dei carta branca ao Andrés, meu presidente, meu líder, de quem tive orgulho de ser diretor de futebol. Fizemos uma pequena história juntos da qual tenho muito orgulho”, afirmou.

Gobbi foi eleito presidente com o apoio do grupo político liderado por Sanchez, mas ambos chegaram a ficar com relações estremecidas. Olhando nos olhos de seu antecessor no cargo, o atual mandatário do Corinthians se desmanchou em elogios pela nova arena.

Divulgação/Agência Corinthians
Andrés Sanchez ganhou afagos de Mário Gobbi e citou os três operários que faleceram. Foto: Rodrigo Coca.
“Estou encantando, Andrés. Preciso me beliscar para saber se é de verdade. Muito disso é fruto do seu trabalho, das suas ideias e do seu pioneirismo. Você é um homem arrojado. Com coragem, bravura e destemor, articulou e fez nascer essa casa durante sua gestão como presidente. Você é o senhor estádio. Essa expressão é minha e não empresto para mais ninguém”, afirmou.

Ao iniciar seu discurso, Sanchez se disse “sem palavras” para retribuir aos elogios Gobbi. Designado pelo atual presidente para comandar as obras do estádio, ele recordou as mortes dos operários Ronaldo Oliveira dos Santos, Fábio Luiz Pereira e Fábio Hamilton da Cruz durante a construção.

“Infelizmente, não podemos deixar de lembrar e homenagear as três fatalidades que aconteceram aqui. Realmente, para nós foi muito triste e continua sendo, mas infelizmente são vidas que se vão e vidas que vêm”, afirmou o ex-presidente do clube do Corinthians.

Além de Mário Gobbi e Andrés Sanchez, estiveram presentes Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo, e Júlio Semeghini, secretário de planejamento e desenvolvimento regional do estado. Carlos Petronilho, que jura ter trocado o São Paulo pelo Corinthians como time do coração, participou na condição de representante de todos os operários.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade