Futebol Internacional/Copa Libertadores da América - ( )

Donizete cita falta de qualidade, mas crê em classificação do Galo

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

A postura apática do Atlético-MG diante do xará colombiano foi admitida pelos jogadores do Galo, que durante 90 minutos só conseguiram finalizar duas vezes, contra 25 tiros do time de Medellín. Neste contexto, o volante Leandro Donizete cobrou mais ofensividade da equipe que segundo ele, ficou devendo qualidade na saída de bola.

“Acho que sim. Tem que arriscar. Ficar só se defendendo não dá. Tem que se defender bem, como fizemos, mas, quando sair, tem que ser com qualidade. Tivemos quatro ou cinco bolas, mas o cruzamento saiu sempre atrás do atacante”, lamentou o volante do Galo.

Apesar da derrota na Colômbia, Leandro Donizete mantém um discurso otimista para o jogo de volta no Independência, na próxima semana. “É bola para frente. Vamos continuar fortalecidos. Quinta-feira tem mais. A gente vinha falando no vestiário que não precisava sofrer. Mas mais uma vez vamos sofrer um pouquinho”, declarou.

Para avançar na Libertadores, o Galo vai precisar vencer o Atlético Nacional por dois gols de diferença no Horto. Se ganhar por 1 a 0, a decisão da vaga nas quartas de final será decidido nas cobranças de pênaltis. Empate por qualquer placar garante o time colombiano na sequência da competição continental.

Divulgação/Bruno Cantini/Atlético-MG
Donizete lamentou a falta de qualidade: "Tivemos 4 ou 5 bolas, mas o cruzamento saiu sempre atrás do atacante"

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade