Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Fred volta a marcar e ignora organizadas: “Só ouvi minha torcida”

Rio de Janeiro (RJ)

Em má fase pelo Fluminense, Fred viveu uma semana conturbada nas Laranjeiras, publicou uma nota oficial de repúdio às torcidas organizadas do clube e precisava responder dentro de campo nesta quinta-feira. O cenário não era tão favorável, mesmo com o Fluminense vencendo a partida com facilidade, mas o atacante conseguiu deixar sua marca no final do segundo tempo, fechando a goleada por 5 a 0 sobre o Horizonte, resultado que garantiu os cariocas na segunda fase da Copa do Brasil.

Vaiado em alguns momentos do jogo, o camisa 9 da Seleção Brasileira cumpriu sua promessa e ignorou as organizadas, que responderam nas arquibancadas, levando até mesmo um chinelo com o número da camisa do jogador estampado. Ainda assim, Fred mostrou que tem o carinho da maior parte da torcida tricolor. Para abafar as vaias, os torcedores comuns entoaram o tradicional canto em homenagem ao jogador.

“Quando tentaram me vaiar, eu só ouvi o apoio da minha torcida. Isso é uma satisfação muito grande, porque eu amo esse clube”, disse o atacante do Fluminense, que apesar da marca deixada, não teve um desempenho tão bom, voltando a preocupar os torcedores brasileiros com relação à Copa do Mundo.

Nelson Perez/Fluminense FC
Fred comemora seu gol, que definiu a goleada de 5 a 0 sobre o Horizonte na Copa do Brasil
Ciente da repercussão de sua nota de repúdio, Fred aproveitou o momento para fazer um apelo. De acordo com o jogador, não é o Fluminense que precisa mudar na conduta com esses torcedores, já que é um problema do futebol brasileiro. Fred acredita que medidas drásticas precisam ser tomadas para acabar com a violência nos estádios do país, locais que, para o atacante, são destinados à diversão.

“Tenho um carinho muito grande pelo Fluminense, amo esse clube, amo essa torcida, e queria deixar bem claro que o desabafo que fiz naquela nota foi contra a violência, contra o vandalismo, um problema não só do Rio de Janeiro, um problema crônico do país inteiro, que temos que contar com o apoio de todo mundo para combater. Estádio é lugar de alegria, de família e de crianças”, concluiu o centroavante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade