Futebol/Campeonato Paranaense - ( - Atualizado )

Heroico, Londrina vira, goleia o Furacão e chega à final

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Londrina (PR)

Em noite inspirada do Rei Arthur, o Londrina, em atuação épica, virou para cima do time sub-23 do Atlético Paranaense, do Imperador Adriano, e com 4 a 1, no Estádio do Café, conquistou a vaga para a final do Campeonato Paranaense 2014, eliminando o último time da capital que ainda restava. No jogo de ida da semifinal o Furacão havia vencido por 3 a 1 no Ecoestádio, em Curitiba.

O time da casa foi com tudo para frente e deixou espaço para Marcos Guilherme, que recebeu de Adriano, fez lindo drible na defesa, e bateu com tranquilidade para abrir o placar para o Rubro-Negro, aos 14 minutos. Arthur deixou tudo igual, aos 35 minutos. Depois do intervalo, aos oito minutos, Joel decretou a virada. Heroico, Arthur fez o terceiro, aos 12 minutos, para incendiar, e o quarto, aos 29 minutos.

Depois de 22 anos, o Londrina volta à decisão do Estadual. E será a reedição de um clássico do norte do Estado, diante do Maringá – este em time novo, não o velho Grêmio Maringá – em dois duelos que fazem renascer das cinzas o futebol do interior paranaense. A primeira partida será no final de semana, novamente no Café, e a volta no Estádio Willie Davids, na cidade-canção.

O jogo – Empurrado pelo torcedor, o Tubarão tentava pressionar desde o inicio. Aos quatro minutos, Celsinho recebeu o lançamento e soltou a bomba para defesa de Rodolfo, que cedeu escanteio. Aos oito minutos, Rone Dias cobrou escanteio fechado e quase fez olímpico, não fosse Rodolfo, atento no lance. O Furacão não conseguia sair para o jogo e se defendia do jeito que dava.

Rone Dias tentou duas vezes, aos 13 minutos, mas a segunda bola foi pela linha de fundo. Porém, o banho de água fria veio na sequência, no contra-ataque. Marcos Guilherme tabelou com Adriano e com muita tranquilidade chutou no cantinho para abrir o placar e aumentar ainda mais a vantagem rubro-negra. O gol abalou os donos da casa. Aos 21 minutos, saída de bola errada na zaga alviceleste, Adriano tentou lançar, mas a bola se perdeu.

O técnico Claúdio Tencati fez a primeira mudança ainda aos 27 minutos, com a entrada de Lucas Gomes no lugar de Anderson. Aos 30 minutos, Rone Dias cobrou falta e Rodolfo defendeu em dois tempos. A torcida voltou a sonhar aos 35 minutos, com o gol de Arthur, aproveitando cruzamento de Joel. O Atlético conseguiu se fechar bem e segurava o ímpeto do Tubarão.

Para o segundo tempo, nenhuma nova alteração nos times. Até mesmo o Imperador voltou. Aos quatro minutos, Rone Dias cobrou falta fechada na área e a defesa conseguiu afastar o perigo. Fora de campo, Petkovic berrava desesperado com a defesa. Até que, aos oito minutos, confusão na área atleticana e a bola sobrou para Joel chutar e decretar a virada. O gol incendiou de vez a partida.

Pressionando, o Londrina chegou ao terceiro, aos 12 minutos, novamente com Arthur, que aproveitou cobrança de escanteio para empurrar para as redes. Aos 16 minutos, Paulinho cruzou e Arthur testou para fora. O Furacão tentava se reencontrar. Aos 23 minutos, Hernani arriscou de longe, para fora. Otávio teve a chance de parar a reação londrinense, aos 26 minutos, com um chute na trave.

O clima era de decisão no Café, com pressão da torcida, que explodiu de vez aos 29 minutos, com Arthur aproveitando cruzamento para fazer o quarto e demolir a vantagem rubro-negra. No desespero, Marcos Guilherme caiu na área tentando cavar uma penalidade, não marcada. O Imperador Adriano ficou 90 minutos em campo, mas, especialmente na segunda etapa, sumiu. Quem apareceu foi o Rei Arthur, que com três gols definiu a classificação do Londrina, que renasce.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade