Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Hungaro é frio ao analisar derrota: “Só teve uma equipe em campo”

Buenos Aires (Argentina)

Eduardo Hungaro não tentou procurar desculpas para explicar a derrota do Botafogo, por 3 a 0, para o San Lorenzo, na Argentina. Ciente de que os seus jogadores atuaram de forma vexatória em Buenos Aires, aceitando o domínio adversário ao longo dos 90 minutos do confronto, o treinador alvinegro admitiu que apenas uma equipe esteve em campo para encarar uma decisão.

“Nossa equipe teve um rendimento muito abaixo para um jogo decisivo, para tudo que a gente imaginava, tudo que a gente esperava para o jogo. Não tivemos saída de bola, não tivemos marcação, não tivemos capacidade ofensiva. Analisar um jogo como esse é complicado, porque tem pouca coisa para elogiar”, disse Eduardo Hungaro, sem poupar críticas à postura botafoguense.

O treinador, aliás, preferiu nem ‘culpar’ o resultado na rodada anterior, quando o Botafogo perdeu em casa pra o Unión Española, ficando em situação bastante complicada no grupo. “O resultado no Maracanã pareceu injusto, dominamos o jogo e ainda teve um erro grave de arbitragem, mas isso não interessa”, disse o comandante, visivelmente irritado com o que foi apresentado.

Após a derrota desta quarta-feira e a eliminação precoce na Libertadores, Eduardo Hungaro está ameaçado no cargo de treinador. Questionado sobre a possibilidade de demissão, ciente de que não conseguiu fazer um bom trabalho no comando do Botafogo nesta temporada, o técnico já pareceu aceitar esta situação, deixando nas mãos da diretoria.

“Eu fui contratado pelo Botafogo no inicio do ano para trabalhar em 2014. O resultado não foi bom, não atingimos o esperado, mas eu não posso responder isso. Vocês têm que fazer esse tipo de pergunta para a diretoria”, completou Eduardo Hungaro, que deve ter sua situação definida antes mesmo de desembarcar no Brasil nesta quinta-feira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade