Futebol/Futebol Internacional - ( - Atualizado )

Imprensa espanhola insiste no fim do ciclo do Barça, mas 'perdoa' Neymar

Madrid (Espanha)

Três derrotas seguidas foram suficientes para o Barcelona mergulhar em crise. Após a derrota para o Real Madrid na final da Copa do Rei nesta quarta-feira, a equipe catalã apanhou também dos jornais espanhóis, que não pouparam críticas à postura abatida dos blaugranano revés por 2 a 1 para o maior rival. O principal alvo, como não poderia deixar de ser, é o atualmente irreconhecível Lionel Messi, enquanto Neymar ainda tem crédito.

Segundo o diário As, o argentino é a “personificação da crise” do Barcelona. O Mundo Deportivo lamentou a “inexplicável ausência futebolística de Leo Messi”, e o Marca fez coro, afirmando que a quarta-feira marcada pela final disputada no estádio Mestalla foi “outro dia sem Messi”, já que o craque “não foi nem a sombra do jogador de antes”. Em matéria maior, o jornal da capital Madrid ainda analisa “o fim do ciclo triunfal culé”, sem citar muitos jogadores, mas questionando o planejamento da diretoria azul e grená sobre o rumo do clube.

AFP
Craque argentino é questionado por atuações muito abaixo do esperado (foto: Dani Pozo)
Já o tratamento a Neymar é mais brando. O brasileiro foi visto como um dos únicos a se entregar pela vitória no clássico e seu chute na trave foi caracterizado como um “final amargo” para a boa campanha que fez pelo Barça na Copa do Rei. O segundo tempo chegou a ser elogiado inclusive pelos jornais da capital espanhola.

Mas se a imprensa do país viu o atacante “se movimentar entre as linhas, fazer tabelas, se desmarcar e principalmente encarar” a defesa do Real, também não deixou de lembrar o duelo pessoal entre o camisa 11 e Gareth Bale, responsável pelo gol do título merengue. A comparação se dá pela quantia paga nos dois promissores atletas e no papel secundário que assumem em suas equipes. O Marca ainda lembra que o brasileiro foi contratado na metade do último ano para resolver todos os problemas do Barça, mas “o tempo mostrou que não foi suficiente”.

Toda esta maré de repreensão nasceu quando o time da Catalunha foi eliminado pelo Atlético de Madrid nas quartas de final da Liga dos Campeões, na última semana. De lá para cá, a derrota para o Granada pelo Campeonato Espanhol e outro revés para o Real Madrid nesta quarta-feira só contribuíram para o aumento das críticas.

Os três tropeços podem seguidos podem culminar em uma temporada sem um título expressivo para o Barça, o que não acontece desde a temporada 2007-08. A última chance de levantar uma taça nos próximos meses é o Campeonato Espanhol, mas para ter chance de vencê-lo a equipe depende de tropeços de Atleti e Real, os dois primeiros colocados.

AFP
Brasileiro teve chance de levar final para a prorrogação nos minutos finais, mas acertou a trave (foto: Lluis Gene)
Críticas ultrapassam fronteiras - O descontentamento da imprensa com o atual futebol do Barcelona não é exclusividade espanhola. O italiano Gazzetta dello Sport analisa que a equipe catalã “precisava de uma mudança de ritmo, talvez de uma jogada de Messi, mas o argentino confirmou o torpor de suas últimas performances”.

O Corriere dello Sport é mais incisivo, relatando que “Messi estava em campo, mas nunca entrou no jogo. Ele é o símbolo perfeito da crise que assola sua equipe” e que o Barcelona está assim porque “os jogadores que alcançaram o topo do mundo estão muito cansados. Não só Messi, mas Xavi, Mascherano, Dani Alves, Cesc (Fabregas). Desta vez, a equipe está realmente acabada”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade