Futebol/Campeonato Carioca - ( - Atualizado )

Jayme se emociona e valoriza título conquistado por todos do elenco

Rio de Janeiro (RJ)

Neste domingo, Jayme de Almeida tinha o desafio de fazer o Flamengo esquecer a eliminação na primeira fase da Libertadores e ser campeão carioca. Conseguiu com empate por 1 a 1 conquistado nos acréscimos contra o Vasco, mas se emocionou durante sua entrevista coletiva no Maracanã lembrando toda a trajetória no torneio, no qual garotos atuaram enquanto os titulares foram poupados.

“Tenho muito orgulho desses meninos. Não foi um título carioca de dez, 12, 15 jogadores, mas de todos. De todos do elenco, só não usei o César, o que é uma pena, porque é um grande garoto. Nunca vi uma equipe assim. Todos têm que pegar sua medalhinha e tirar foto. Sempre que precisei, eles deram o máximo”, comentou, com lágrimas nos olhos.

“Desde o primeiro dia, juntamos os atletas e eu disse que iria utilizar todos, principalmente no Carioca por causa da Libertadores. Pedi para que todos se preparassem bem e entenderam isso. Em nenhum momento, tive dúvida ou receio com qualquer jogador, tinha e tenho confiança em cada um deles. Às vezes, o jogador só tem essa chance, e todos entenderam isso. Estou muito satisfeito”, contentou-se.

Em seu discurso, o técnico fez questão de valorizar a taça erguida neste domingo. “Falam que o Carioca não vale nada, mas vai perder esse título. Só não vale nada para quem não está trabalhando. Tínhamos a oportunidade de deixar aquela derrota de quarta-feira para trás fazendo uma história bacana nessa final e todos foram guerreiros, lutaram para caramba”, aplaudiu.

A dificuldade não surpreendeu, mas a missão repassada pelo treinador era de deixar a derrota para o mexicano León no Maracanã, na quarta-feira, para trás. Esse foi o tema da preleção de Jayme de Almeida para que o time se empenhasse em campo, o que acabou provado com o gol de Márcio Araújo aos 46 minutos do segundo tempo.

“O sentimento é de dever cumprido. Saímos da Libertadores na quarta-feira e a recompensa tinha que ser nesse clássico que sempre é disputado e emocionante. Falei para eles dessa decisão histórica, cheia de rivalidade, e que a torcida nos pediria garra. Todos sabem a força do Flamengo no Maracanã. Lutamos, não desistimos quando tomamos o gol e sinto hoje uma honra e uma alegria muito grandes”, vibrou.

“Tenho 61 anos e experiência como jogador e técnico. Sei como funciona. Seria muito ruim se não fossemos campeões, seria muito complicado se não recuperássemos toda a energia no grupo. Íamos apanhar muito, seria duro. Mas ser campeão pelo Flamengo é uma história linda, te deixa marcado para contar a amigos, filhos e netos, você vai aparecer na foto como campeão pelo Flamengo”, sorriu o treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade