Futebol/Bastidores - ( )

Juvenal diz ser protetor de Ceni no Morumbi: "Ele não é fácil"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Dois dias depois de ter sua gestão analisada por Rogério Ceni, Juvenal Juvêncio falou sobre o goleiro e ídolo da torcida são-paulina, que se aposentará dos gramados em dezembro deste ano. Porém, ao responder se o jogador poderia vir a ocupar o cargo máximo do clube no futuro, as palavras do presidente não foram muito claras.

"O Rogério, eu protejo muito. Ele falou umas coisas do Juvenal Juvêncio. Todos sabem disso", disse o dirigente, no sábado, dia em que os sócios do clube foram ao Morumbi para eleger 80 novos nomes para compor o Conselho Deliberativo.

Ceni falou, na quinta-feira, que Juvenal é "uma pessoa bastante centralizadora, com posição firme em todos os aspectos e que fez com que o São Paulo crescesse muito". Mas com uma ressalva importante: "Apesar de centralizador, fez muita coisa boa pelo clube". E foi essa ressalva que Juvenal preferiu enfatizar ao lembrar o assunto.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Relação entre o goleiro e o presidente do São Paulo já foi melhor, nos primeiros anos de Juvenal à frente do clube
"Fui ver os jornais no dia seguinte, não encontrei uma linha quando ele falou que o Juvenal Juvêncio é centralizador, sim, mas é realizador. É uma figura, pá, pá pá...", questionou o presidente do tricampeonato brasileiro (2006, 2007 e 2008) e da Copa Sul-americana de 2012, além do Campeonato Paulista de 1989, em seu primeiro mandato.

"O Rogério não é fácil", concluiu Juvenal, que não tem com o capitão um ótimo relacionamento. Os dois já foram muito próximos nos primeiros anos do presidente à frente do clube, mas, depois de algum tempo, passaram a se evitar.

"Em quase 12 anos, é natural que você tenha bons períodos e outros difíceis", ponderou o camisa 1, na quinta-feira, respeitoso. "Ele dirigiu em um dos períodos mais vitoriosos do clube. Se hoje as coisas não caminham da forma como imaginavam, ele teve uma colaboração muito grande com a instituição. Tenho uma admiração muito grande por ele. Faz parte da história do clube".

Juvenal conhecerá seu sucessor em 16 de abril, em eleição na qual concorrerão Carlos Miguel Aidar, pela situação, e Kalil Rocha Abdalla, pela oposição. Já o último dia de contrato profissional de Ceni será 31 de dezembro. A partir do ano que vem, ele deverá ter Denis como seu substituto.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade