Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Juvenal Juvêncio ataca Ricardo Teixeira: "Sujeito horroroso"

São Paulo (SP)

No final de seu terceiro mandato consecutivo à frente do São Paulo, Juvenal Juvêncio segue com o tom ácido nas acusações que profere. Ao discorrer sobre a exclusão do Estádio do Morumbi como palco da Copa do Mundo de 2014, o presidente tricolor não poupou críticas a Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, a quem definiu como “sujeito horroroso”.

“Nunca me dei com o Ricardo Teixeira. É um sujeito horroroso. Ele não sabe nada de futebol. É um aproveitador do processo. Casou com uma moça ligada ao esporte (Lúcia Havelange, filha de João Havelange, ex-presidente da Fifa) e entrou no ramo. Ele e o Marco Polo Del Nero sempre se reuniam em Londres-ING para discutir. Pra que fazer isso? Os jogos acontecem aqui, não lá”, expôs, em entrevista à ESPN.

Adiante, Juvenal fez questão de recordar as conversas que teve com Teixeira, recordando um episódio ocorrido nas Eliminatórias Sul-americanas para o Mundial de 2006: “O São Paulo é o clube de maior respeitabilidade do Brasil, com uma estrutura invejável, e ele vem me oferecer logo uma partida contra a Bolívia? E outra, a história de ‘arena multi-uso’, para receber as ‘Madonnas’ da vida, só serve para quebrar as exigências de aprovação. Aqui não teve nenhuma verba da Fifa, como deve ter ocorrido com o Corinthians, na construção do Itaquerão”, disparou.

Por fim, o presidente tricolor comentou a situação do Corinthians, cujo estádio, construído em Itaquera, abrigará a abertura do Mundial: “Eles se perderam, no quesito de planejamento, e agora será difícil encontrar o equilíbrio. Eu ‘perdi o pé’ lá atrás e estou tentando me encontrar até hoje. Por isso, o pessoal pensa que tenho prazer de demitir técnicos, mas não é verdade. Se no Brasil não existe técnico de verdade, o que eu posso fazer? Existem apenas ‘alguns treinadores’. Uns até querem trazer o filho, que ganha não sei quanto e só servem para dar palpite errado. Isso é amadorismo. O dirigente não pode ser bobo, senão o comandante se acomoda”, completou.

Divulgação/São Paulo FC
Juvenal cumprimenta José Maria Marín, atual presidente da CBF e sucessor de Ricardo Teixeira

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade