Futebol/Campeonato Mineiro - ( - Atualizado )

Kalil fica revoltado com arbitragem: "Ladrão e vagabundo"

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O presidente Alexandre Kalil não poupou críticas ao trio de arbitragem na partida decisiva do Campeonato Mineiro. O mandatário do Atlético-MG reclamou especialmente de um lance em cima do atacante Jô, que, não visão de Kalil, teria sido pênalti em favor do Galo, mas o assistente Fábio Pereira marcou impedimento na jogada.

Kalil afirma que as imagens da televisão mostram que o atacante atleticano estava em condições legais quando foi derrubado dentro da área. “Ladrão. Trilho de gângsteres. Vagabundos, vão ver a televisão. Escândalo. Foi um negócio vergonhoso. Por isso que na Libertadores nós ganhamos, porque essa gangue não entra em campo”, esbravejou.

O lance que motivou a revolta de Kalil aconteceu aos 43 minutos do segundo tempo, e caso o árbitro Leandro Pedro Vuaden, que marcou o pênalti, depois voltou atrás, tivesse confirmado a penalidade e o Galo convertido, o título mudaria de lado. Por ter feito melhor campanha, a Raposa aproveitou a vantagem de jogar por dois empates e levantou a taça.

Bruno Cantini/CAM
Presidente do Atlético-MG queria a marcação de um pênalti sobre o atacante Jô

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade