Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Kleina exige do time, ao menos, 60% de aproveitamento no Brasileiro

William Correia São Paulo (SP)

O Palmeiras inicia o Campeonato Brasileiro de seu centenário com uma obrigação: não somar menos do que 69 pontos. Gilson Kleina indicará minimetas ao elenco de acordo com a sequência de jogos, mas, mesmo nas nove rodadas anteriores à parada da Copa do Mundo, cobrará um aproveitamento mínimo de 60% para não tirar a vaga na Libertadores de 2015 e o título da mira.

“Se você mantiver 60%, estará bem pontuado. Aí analisa o rendimento do campeonato e das equipes para ver se é suficiente para atingir o que quer”, disse o treinador em entrevista exclusiva para a Gazeta Esportiva. O comandante tem visto o histórico recente da liga e comprova que esse número dá chances de sonhar.

Desde 2006, quando o torneio passou a ter o modelo atual com 20 clubes, somar 69 pontos sempre foi suficiente para ficar entre os quatro primeiros colocados. O número superaria o Flamengo campeão em 2009 (fez 67 pontos), igualaria os vice-campeonatos de Inter em 2006, Cruzeiro em 2010 e Vasco em 2011 e bateria as segundas colocações do Grêmio no ano passado (65 pontos) e do Santos em 2007 (62), o terceiro lugar do Cruzeiro em 2008 (67) e a quarta posição do São Paulo em 2012 (66).

A primeira cobrança no Verdão será em relação aos compromissos antes da Copa do Mundo. Até lá, o time visitará Criciúma, Flamengo, Vitória, Chapecoense e Grêmio, receberá Fluminense e Goiás no Pacaembu e encarará o Figueirense em Araraquara e o Botafogo em Presidente Prudente enquanto o Pacaembu ficará à disposição da Fifa.

“Não podemos deixar de fazer desses nove jogos um termômetro para a sequência do Palmeiras depois da parada na Copa do Mundo. Vamos estipular o que pensamos desses 27 pontos para atingirmos uma pontuação que nos dê condições de buscar o título sempre”, indicou Kleina, que coloca Corinthians. São Paulo, Santos, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Atlético-MG, Cruzeiro e Grêmio entre os principais concorrentes do Palmeiras, além de alertar para a capacidade de Chapecoense e Sport surpreenderem.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Treinador cobra, ao menos, 69 pontos, número que sempre foi suficiente para ficar entre os quatro primeiros
“Não tem refresco, tem que fazer de tudo para somar três pontos. Se você não fizer o resultado, já tem que buscar os pontos no próximo jogo. Se você não pontua em dois jogos, alguma equipe abre seis. Se você faz os seis pontos, além de ganhar do concorrente, administra o resultado caso alguém tropece”, falou o treinador, confiante no time.

“Temos que ver o número de pontuação, entender como está o campeonato, se será equilibrado ou alguém vai disparar, jogos dentro e fora de casa... Mas, se mantivermos o nível do Paulista, o Palmeiras fará um grande campeonato atingindo os nossos objetivos”, apostou Kleina, eliminado na semifinal do Campeonato Paulista após perder do Ituano em jogo único no Pacaembu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade