Futebol - ( )

Léo ainda quer jogar, mas já cava vaga “nos bastidores” do Santos

São Paulo (SP)

A delegação do Santos na final do Campeonato Paulista tem Léo, hoje mais capacitado a passar experiência aos mais jovens atletas do que propriamente contribuir com futebol. Perto de completar 39 anos, ele ainda acha que pode contribuir dentro de campo, mas prepara sua passagem para um cargo diretivo no clube praiano.

“De qualquer forma, eu vou continuar. Pelo menos, tenho pretensões. O Oswaldo (de Oliveira, treinador) vê quanto eu me dedico ao clube que amo, quero continuar ajudando”, disse o ainda meia, que não se vê, no entanto, trabalhando na comissão técnica.

“Não sirvo para trabalhar em campo, já tenho isso claro. É nos bastidores, entendeu? Trabalhar profissionalmente com esses jogadores, participar na CBF e na Federação Paulista representando este clube. Tenho muita vontade de fazer muita coisa para o Santos”, acrescentou.

Por enquanto, Léo quer jogar bola. Lutando contra recorrentes problemas físicos, ele participou de parte da partida contra o Mixto, há duas semanas, e espera novas oportunidades, ainda que reconheça a dificuldade de concorrer com os garotos da equipe.

“Se eu achar que as pessoas não confiam em mim e que não tenho condição, fico na minha casa. Hoje, estou bem condicionado, magrinho, no peso certo, com o joelho suportando. Só que é difícil jogar no Santos”, comentou o atleta, que já trocou a lateral pelo meio por questões físicas.

De acordo com ele, a decisão de pendurar a chuteira será tomada em conjunto com o clube da Vila Belmiro. “Será com naturalidade. Jogador tem prazo de validade, a gente não pode fugir disso. Não dá para achar que a gente tem condição se as pessoas que comandam acharem que não.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade