Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Mais apegado ao time que qualquer palmeirense, Bruno exige taça no ano

William Correia São Paulo (SP)

Titular na campanha do rebaixamento no Brasileiro de 2012, Bruno garante ter sofrido uma de suas piores tristezas com a eliminação na semifinal do Campeonato Paulista. Contestado por torcedores, o goleiro que está há 17 anos no Palmeiras deu essa declaração como uma mostra de que é mais apegado ao clube até do que os torcedores.

“Quando ganhamos, não tem ninguém mais feliz do que eu. Se perdemos, nenhum ser humano no planeta, seja torcedor, jogador ou qualquer profissional, fica mais triste”, disse o jogador, tão dedicado ao Verdão que já foi preparador físico e até treinador durante alguns jogos.

A ligação de sua vida com o Palmeiras o faz exigir a conquista de um título na temporada. “Queríamos jogar os dois domingos da final do Paulista. Infelizmente, não deu, então temos que trabalhar forte para o Brasileiro e o decorrer da Copa do Brasil, porque o Palmeiras tem que ser campeão”, cobrou.

Ver a primeira chance de título no centenário escapar com derrota por 1 a 0 para o Ituano com quase 30 mil pagantes no Pacaembu foi uma frustração marcante. “Já passei de tudo aqui no Palmeiras. Mas posso dizer que, com certeza, foi uma das maiores tristezas e dores que passei na minha carreira e na minha vida. Quem joga no Palmeiras não pode passar por isso.”

Fernando Dantas/Gazeta Press
Goleiro reserva sentiu uma das maiores tristezas de sua vida na eliminação na semifinal do Paulista
Presente no jogo em substituição a Fernando Prass, o goleiro de 29 anos, com contrato até dezembro de 2015, já até se acostumou às críticas, inclusive no chute forte e certeiro que Marcelinho acertou para classificar o time de Itu. “Sei bem o que acontece dentro do campo. Quem não gosta de mim, vai falar que é culpa minha mais uma vez”, conformou-se, preferindo pensar no Palmeiras.

“Não importante se é ano de centenário, se não é, se é no Pacaembu ou se é em outro lugar. É ruim, dói, eu não esperava. Infelizmente aconteceu, Agora vamos ter que dar um jeito para não acontecer de novo. Tem que saber o que errou, cada um assumir a responsabilidade porque não podíamos ter perdido do Ituano, não podíamos ter ficado fora da final do Paulista”, lamentou-se.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade