Futebol/Copa Libertadores da América - ( - Atualizado )

Marcelo Oliveira culpa desgaste físico por erros na armação celeste

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O técnico Marcelo Oliveira entende que se o Cruzeiro tivesse conseguido abrir o placar primeiro a história do jogo contra o Cerro Porteño seria diferente. O treinador celeste afirma que a Raposa jogou da forma que sempre que faz no Mineirão, mas falhou na hora de fazer os gols, o que dificultou a missão da equipe.

“Fizemos aquilo que a gente sempre faz no Mineirão. No primeiro tempo, o Fábio praticamente não pegou na bola, e não levamos o gol em função do volume que tivemos no campo de ataque, já que não foi em contra-ataque e sim um gol de uma bola de escanteio. Se a gente tivesse feito o gol primeiro seria um jogo diferente”, avaliou.

Marcelo Oliveira ainda citou o desgaste pelo excesso de jogos para justificar os erros da equipe, que mesmo tendo agredido muito mais durante os 90 minutos só conseguiu balançar as redes nos acréscimos. Segundo ele, o número de conclusões em gol do Cruzeiro foi expressivo, faltando apenas um pouco mais de capricho.

“Tivemos mais de 30 finalizações, 13 no gol. Ficou claro para mim a diferença do desgaste físico de um time para o outro. O Cruzeiro vem de cinco jogos decisivos que você tem que doar muito fisicamente, e aí é muito mais fácil se defender, como eles se defenderam muito bem. Um time experiente que tentou cadenciar o jogo, e nós tentando a todo custo chegar ao gol. O Cruzeiro foi um time guerreiro”, declarou.

AFP
Para o treinador Marcelo Oiveira, o desgaste de sua equipe pesou para conseguir buscar o empate na partida

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade