Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Muricy reprova Rodrigo Caio, mas põe culpa maior em cansaço

Maceió (AL)

Os dois cartões amarelos recebidos por Rodrigo Caio, em especial o primeiro, foram condenados por Muricy Ramalho após a derrota de virada para o CRB, nesta quarta-feira. O treinador deixou claro que o erro prejudicou o São Paulo, mas, em sua opinião, o cansaço dos jogadores pela viagem a Maceió foi o principal motivo do resultado.

A primeira advertência foi recebida no primeiro minuto, o que comprometeu praticamente toda a partida do zagueiro. Ele levaria novo cartão por outra falta no atacante Diego Rosa, no começo do segundo tempo - esta falta, na opinião de alguns companheiros de equipe, inexistente.

"A expulsão não foi ali, foi no primeiro tempo, com um amarelo que não se pode tomar. O jogo estava controlado, e ele tomou um amarelo merecido. Aí, você fica pendurado", criticou Muricy, antes de tirar do jogador a responsabilidade direta pelo revés na ida da segunda fase da Copa do Brasil.

"Foi atípico. A gente sentiu um pouco o jogo de domingo ainda. Não é fácil jogar aqui, nessa temperatura, com esse campo pesado. A gente tinha esse receio. Até conversamos com a comissão técnica se mudaríamos mais jogadores ainda, mas não houve reclamação de cansaço. Mas o jogo estava controlado até a expulsão, porque aí virou outro jogo. Cansado e com um a menos... Mas a gente não tem como se desculpar", avaliou.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Treinador são-paulino condenou os cartões amarelos recebidos pelo agueiro, em Maceió, nesta quarta-feira
O São Paulo havia atuado pela última vez na vitória por 3 a 0 sobre o Botafogo, no Morumbi, dois dias antes da viagem para a capital alagoana, realizada na véspera do duelo contra o CRB. Pela sensação prévia de que o cansaço seria prejudicial, Muricy decidiu poupar o atacante Luis Fabiano, um dos atletas mais velhos do elenco e que assumidamente depende de preparação física diferenciada.

Mas Ademilson, seu substituto, deu conta do recado. Aos 24 minutos do primeiro tempo, anotou um golaço de bicicleta e colocou o São Paulo em vantagem. Só que o CRB chegou ao empate nove minutos depois, em pênalti cometido por Rogério Ceni e convertido por Tozin. A virada veio no final do segundo tempo, pelos pés do veloz Diego Rosa (responsável por cavar os cartões de Rodrigo Caio e por sofrer o pênalti), quando o time da casa já tinha um jogador a mais em campo.

"Velocidade, todo time tem. Acontece que não tivemos o controle do jogo. A gente sabia dos contra-ataques, mas erramos muito passe. Coisa que não aconteceu no domingo, quando a gente teve controle, não deu chance para o adversário. O grande erro nosso foi não ter o controle do jogo e o passe. E o adversário se aproveitou do contra-ataque", concluiu Muricy.

A delegação são-paulina retorna à capital paulista na madrugada desta quinta-feira e se reapresenta na manhã do dia seguinte, para dar início à preparação para o duelo contra o Cruzeiro, em Uberlândia, no domingo. A partida de volta contra o CRB será em 7 de maio, ainda sem local definido - na semana da partida, o Morumbi estará cedido para a realização de um show musical.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade