Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Ney Franco balança no cargo, assume culpa e diz querer continuar

Salvador (BA)

No dia seguinte à surpreendente eliminação do Vitória pelo J. Malucelli na primeira rodada da Copa do Brasil, Ney Franco se vê no momento de maior instabilidade no comando da equipe. O técnico carrega a pressão de ter sido derrotado na estreia do Campeonato Brasileiro para o Internacional e ter perdido o título do Baianão para o rival Bahia, além da eliminação precoce na Copa do Nordeste.

“É o meu primeiro momento de instabilidade no Vitória. Não tem explicação para essa desclassificação. Como treinador, quero continuar. Mas entenderei qualquer posição da diretoria, a gente conversa. Meu pensamento é remontar esse time”, disse Ney Franco na coletiva após o empate em 1 a 1 com o J. Malucelli em casa e a eliminação nos pênaltis.

O técnico assumiu o rubro-negro em setembro do ano passado, depois de uma saída conturbada do São Paulo, onde foi campeão da Copa Sul-Americana. Desde então, foi o principal responsável pela grande campanha do Vitória no Campeonato Brasileiro de 2013, levando o time a brigar por uma vaga na Libertadores.

Neste ano, porém, o elenco perdeu algumas peças, como Maxi Biancucchi, que foi para o Bahia, o zagueiro Victor Ramos e o meia Escudero, que teve uma grave lesão em fevereiro. Sem conseguir repetir o bom desempenho, a equipe foi amplamente dominada na final do Campeonato Baiano diante do rival.

“Foram muitos erros. Queriamos fazer um ‘abafa’ no adversário e estávamos fazendo isso quando sofremos o gol. Com a posse de bola, erramos 15 ou 16 passes só no primeiro tempo. Não conseguimos criar. Independentemente de reforços, era nossa obrigação passar de fase. Não é o momento de transferir responsabilidade”, afirmou o treinador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade