Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Nos EUA, vice busca amistosos para São Paulo durante a Copa

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O vice-presidente do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, viajou aos Estados Unidos na semana passada e iniciou conversas com equipes norte-americanas para acertar a realização de amistosos durante a pausa do calendário nacional para a disputa da Copa do Mundo no Brasil.

Um time procurado foi o Orlando City Soccer, que teve a maior parcela de suas ações comprada pelo empresário carioca Flávio Augusto da Silva e disputará a Major League Soccer (MLS) a partir de 2015. Um dos objetivos do novo dono do clube norte-americano é contratar justamente um ex-são-paulino, o meia Kaká, hoje no Milan.

SPFC - Site Oficial
Vice-presidente de futebol do clube, João Paulo de Jesus Lopes é quem liderou as conversas nos EUA
A iniciativa de Jesus Lopes, que deve retornar nesta quinta-feira de Orlando, foi embrionária. Até porque o time da Flórida, atualmente integrante da United Soccer League (USL, a terceira liga em importância no país), não tem se comprometido com as sondagens recebidas recentemente pelo fato de estar reformando o Citrus Bowl (estádio com capacidade para 65 mil lugares), enquanto constrói sua própria arena.

Mas há, sim, interesse do Orlando City em estreitar relações com o futebol brasileiro, uma das exigências feitas para ser aceito na MLS. No ano passado, antes da reforma do Citrus Bowl, a equipe norte-americana disputou amistoso contra o Fluminense. Por enquanto, porém, a preocupação é a disputa da USL, em jogos realizados no ESPN Wide World of Sports, complexo esportivo de propriedade da Disney.

Ao São Paulo, além de explorar financeiramente sua imagem em um centro no qual o futebol tem crescido cada vez mais, os amistosos nos Estados Unidos serviriam para não deixar o time inativo durante o Mundial no Brasil. Antes do torneio, o time treinador por Muricy Ramalho jogará pela última vez no Campeonato Brasileiro em 1º de junho, voltando a campo somente em 16 de julho. Nesse período, terá os centros de treinamento da Barra Funda e de Cotia ocupados pelas seleções dos Estados Unidos e Colômbia, respectivamente.

O longo intervalo permite à diretoria estabelecer programação bem mais leve do que a que se fez em 2013, quando o elenco viajou para Europa e Ásia para participar de três torneios diferentes (ou quatro partidas) em oito dias. Mais tarde, essa excursão foi apontada como uma das razões que fizeram o São Paulo penar para escapar do rebaixamento à segunda divisão nacional, no segundo semestre.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade