Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Osvaldo tenta evitar política, mas diz que Juvenal “vai fazer falta”

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O elenco do São Paulo trabalha em dois períodos no CT da Barra Funda, nesta quarta-feira, mas o grande interesse no clube está voltado para o que será decidido à noite no salão nobre do Morumbi. Em meio ao fervor político que toma conta do Tricolor, o atacante Osvaldo preferiu não apontar sua preferência sobre qualquer um dos dois candidatos, mas expôs sua admiração por Juvenal Juvêncio.

“Ele é uma figura, um cara carismático. Sempre estava com a gente no dia a dia, viajando... É difícil ver um cara participar tanto com os atletas. Ele marcou o clube e tomara que o novo presidente possa fazer o mesmo. O São Paulo vai sentir falta do Juvenal, que é correto e sempre honrou os compromissos. Vamos torcer para o novo presidente manter o que o Juvenal vinha fazendo”, comentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Osvaldo diz que não quer se envolver com a política, mas elogia Juvenal Juvêncio
Nesta quarta, os conselheiros do São Paulo decidirão quem ocupará o cargo máximo do clube: Carlos Miguel Aidar, da situação, ou Kalil Rocha Abdalla, da oposição. A partir do momento em que terminar a eleição, Juvenal Juvêncio não será mais o presidente, deixando a função que ocupa desde 2006.

Na semana passada, depois da partida contra o CSA, no Morumbi, o elenco prestou homenagem ao mandatário, usando máscaras com o rosto do dirigente. Apesar dos elogios ao presidente, Osvaldo explicou que não quer se envolver na disputa pelo cargo.

“Não procuramos entrar muito nessa questão. O São Paulo sempre honrou os compromissos e deu condições para os jogadores, com uma estrutura fora do normal. Temos de focar só no nosso trabalho e deixar a política de lado. Quem ganhar vai manter a equipe ainda mais forte para conseguir títulos”, completou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade