Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Pato aprova jeito bronco de Muricy e prevê melhora de seu futebol

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A conversa de Muricy Ramalho com o time do São Paulo no intervalo da partida de quarta-feira, contra o CSA, assustou Alexandre Pato. Mas, ao ver as palavras duras surtirem efeito na segunda etapa, o atacante entendeu o modo de trabalhar do treinador, tricampeão brasileiro de forma consecutiva (2006, 2007 e 2008) pelo clube.

"Quando a gente fez o gol, começamos a dar uma descuidada na marcação. Mas voltamos para o segundo tempo mais determinados, porque escutamos algumas coisas do Muricy. Aí, acabou 3 a 0 para nós", contou o jogador, dois dias depois de ter aberto o caminho da vitória sobre o time alagoano, no Morumbi, a qual garantiu classificação para a segunda fase da Copa do Brasil.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Treinador são-paulino não esconde de ninguém que não é muito adepto do "por favor, como você está?"
"Ele é muito bravo, mas um bravo que te cobra. Ele tem um jeito de cobrar que te ajuda. Escutamos bastante dentro do vestiário, mas tudo mudou depois, conseguimos chegar mais na frente, conseguimos fazer mais (dois) gols", minimizou, em seguida, ao ser questionado sobre o conhecido jeito bronco do chefe.

Muricy não esconde de ninguém que é, muitas vezes, grosseiro no trato com os atletas. "É assim mesmo. Isso aqui não é jogo de menina, é jogo duro. Não tem que falar 'por favor, como você está?'. Tem hora em que tem que falar duro, senão depois você perde e fica chorando. Em grandes empresas, não se diz 'por favor', tem que pedir duro", falou, há pouco mais de um mês, quando bateu boca com o lateral direito Douglas diante das câmeras, ao descer para o vestiário.

Ao menos publicamente, o relacionamento direto entre Muricy e Pato é tranquilo. O treinador diz com frequência que o jogador tem educação diferenciada e se adaptou muito rapidamente ao ambiente do CT da Barra Funda. Dentro do vestiário, no entanto, a estrela de 15 milhões de euros (valor que o Corinthians pagou para tirar o atacante do Milan, no começo do ano passado) é apenas mais um atleta qualquer. E, como tal, é obrigado a ouvir as mesmas broncas.

Passada a surpresa inicial, o ex-corintiano entende que o modo de ser do novo comandante será benéfico para o crescimento (ou recuperação) de seu futebol. "Temos um supercampeão no comando, todos sabem como ele é. Tenho muito a aprender ainda. O professor cobra muito, exige muito, mas está me fazendo muito bem. Aceito as críticas não só dele, mas de todos, que ainda tenho que aprender a marcar, a cabecear melhor, a não errar passe. Críticas ajudam. Depois que encontrei ele, tenho certeza de que as coisas vão melhorar bastante para mim", aprovou.

Após a estreia no Morumbi e o primeiro gol pelo clube, na quarta-feira, Pato fará seu terceiro compromisso no dia 20, quando o São Paulo recebe o Botafogo, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, competição que Muricy conhece melhor do que ninguém. "Tenho certeza de que iremos muito bem", prevê o camisa 11, apostando suas fichas na experiência do chefe supercampeão.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade