Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Pior público do Verdão no ano tem ironia da Mancha e gozação do Vilhena

William Correia São Paulo (SP)

Os 4.430 pagantes da noite desta quarta-feira, no Pacaembu, formam o pior público do ano no Palmeiras, mas chamou atenção além do recorde negativo. A Mancha Alviverde usou o jogo seguinte à eliminação no Paulista para protestar com ironia, chegando a elogiar Valdivia e Paulo Nobre. E os palmeirenses ainda tiveram que ouvir gozações da torcida do Vilhena, apesar da derrota por 2 a 0 dos rondonienses.

Antes do jogo, a principal organizada gritou “Não é mole, não. Cadê a verdadeira torcida do Verdão?”, “Paulo Nobre, seu imbecil, pega esse time e vai para p... que pariu” e “Paulo Nobre, vai se f..., sou palmeirense e estou cansado de sofrer”. Depois, em tom de reprovação ao time atual, entoou cânticos especiais a ídolos campeões da Libertadores de 1999, como Galeano, Zinho, Arce, Júnior Baiano, Paulo Nunes e Oséas.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A torcida organizada palmeirense criticou o presidente Paulo Nobre e ironizou o time nesta quarta
No intervalo, com a partida empatada sem gols e uma pífia atuação dos comandados de Gilson Kleina no primeiro tempo, a Mancha começou a gritar “Olê, lê, olá, lá, se prepara Barcelona que o bicho vai pegar”. Ao longo da etapa final, mesmo com os dois gols de Bruno César, a organizada intensificou na ironia.

Além de relembrar o Barcelona, cantou que “o campeão voltou”, que Paulo Nobre é o “melhor presidente do Brasil” e, após anos, entoou “Valdivia é um terror”, em ação bastante irônica, já que o chileno, desafeto da Mancha, mais uma vez não estava em campo em um jogo de mata-mata.

Os torcedores que não estavam no setor da Mancha fizeram o possível para abafar os protestos. Chegaram a aplaudir a saída de Marcelo Oliveira, apoiando o volante, e também a equipe ao final do jogo, apesar de a organizada chamar a vitória de “obrigação”.

Os poucos que estavam no Tobogã tiveram uma atitude curiosa. Mostraram-se irritados com os torcedores do Vilhena, gritando até “eliminado” com o apito final. Os fãs da equipe rondoniense, por sua vez, cantaram que “Lúcio é Seleção”, gozando a atuação do zagueiro, que cometeu seguidas falhas que quase viraram gol dos visitantes.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade