Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

São Paulo faz três gols sem suar e bate Botafogo no Morumbi

São Paulo (SP)

Não foi preciso muito esforço para o São Paulo derrotar o Botafogo por 3 a 0, em um fim de tarde de domingo sem sol na capital paulista, e ganhar seus primeiros três pontos logo na estreia do Campeonato Brasileiro. Os gols da partida no Morumbi (o primeiro deles marcado ainda aos 12 minutos do primeiro tempo) foram de autoria de Antônio Carlos, Douglas e Luis Fabiano.

Um começo animador para a torcida tricolor, que compareceu em bom número ao estádio, depois de ter sofrido bastante na edição passada ao ver o técnico Muricy Ramalho ser contratado somente para evitar o rebaixamento à segunda divisão nacional. Na próxima rodada, no domingo que vem, o adversário será o Cruzeiro, em Uberlândia. Antes, porém, o São Paulo vai a Maceió, na quarta-feira, para encarar o CRB, pela Copa do Brasil.

Ao Botafogo, eliminado precocemente da Libertadores, resta apenas mesmo o Brasileiro no primeiro semestre. O time treinado por Vagner Mancini, contratado na última semana, terá novo compromisso apenas daqui a uma semana, quando receberá o Internacional, no Maracanã.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Douglas e Luis Fabiano fecharam o placar depois de Antônio Carlos ter anotado o primeiro gol do jogo no Morumbi
Neste domingo, orientado por Mancini ou encurralado pela ofensividade do São Paulo - escalado com Boschilia, no lugar de Osvaldo -, o time do Rio de Janeiro expôs logo nos primeiros minutos como seria seu comportamento: quase sempre com seus 11 jogadores atrás da linha do meio-campo e, nas raras chances de contragolpe, arriscando subidas principalmente pelas laterais, ora com Julio Cesar, pela esquerda, ora com Edilson, pela direita.

O São Paulo, ao contrário, chegava ao ataque como queria. Fosse pelas beiradas do campo, pela faixa central ou através de longos lançamentos. No primeiro deles, Alexandre Pato recebeu dentro da área e tentou encobrir Jefferson, que saiu da meta e se chocou com o atacante, mesmo com o lance já paralisado incorretamente por impedimento inexistente. O botafoguense ainda se levantou e deu um tapa na bola para evitar que ultrapassasse a linha do gol.

Quatro minutos depois, Luis Fabiano cruzou rasteiro pelo lado direito da área e encontrou Antônio Carlos bem colocado na pequena área. O zagueiro se antecipou a Dória, mas caiu no chão. Mesmo deitado, conseguiu girar e chutar a bola de perna direita para vazar Jefferson e abrir o placar. Foi o quinto gol do ex-botafoguense com a camisa tricolor na temporada, o décimo no geral.

A equipe carioca exigiria atenção de Rogério Ceni somente uma vez, três minutos depois de aberto o placar. Em falta cobrada rapidamente pela meia direita, Lodeiro invadiu a área com absoluta liberdade, mas chutou rasteiro e sem força, facilitando a defesa do goleiro são-paulino, que, antes de a bola rolar, recebeu das mãos do presidente Carlos Miguel Aidar dois certificados de recordes do Guinness (um por ser o jogador com mais partidas por um mesmo time, e o outro por ser o jogador mais vezes capitão de um time).

A vantagem não retraiu o São Paulo. Sentindo a facilidade de furar a marcação adversária, o time da casa continuou atacando até marcar o segundo gol. Um belo gol, a propósito. Aos 21 minutos, Pato driblou dois marcadores e tocou rasteiro, na diagonal, para entrada de Douglas pelo bico direito da área. O lateral deixou Jefferson no chão e empurrou a bola para a rede.

Antes do final do primeiro tempo, o São Paulo ainda teve outras duas boas oportunidades de gol. Na primeira, Douglas ajeitou para Maicon bater da entrada da área e ver Jefferson agarrar a bola. Depois, foi a vez de Boschilia receber dentro da área, levantar a bola e chutar de esquerda, para ótima defesa do goleiro do Botafogo, que deixou o campo insatisfeito com seu time. "Poderia ter sido até mais. Temos que jogar melhor", cobrou o camisa 1.

Para tentar jogar melhor, Mancini sacou o meia Jorge Wagner e o atacante Wallyson e colocou o atacante paraguaio Zeballos e o volante argentino Bolatti em campo. A primeira impressão, na volta do segundo tempo, foi de que as alterações poderiam surtir efeito, ajeitando a marcação e dando maior força ofensiva ao Botafaogo. Mas, não. O mesmo São Paulo da primeira etapa levou até menos tempo (12 minutos) para marcar o terceiro: após lançamento de Pato, Ganso rolou para Luis Fabiano, livre, rolar para a rede.

Depois disso, sim, a equipe de Muricy diminuiu suas investidas ao ataque. Com o jogo ganho, até se permitiu a oferecer espaços ao Botafogo. Mas a equipe carioca não fez por merecere nem um gol. Graças principalmente a Ceni, que fez uma grande defesa à queima-roupa, após forte chute rasteiro de Lodeiro, na única grande jogada trabalhada no segundo tempo. O goleiro só suou de novo para espalmar cobrança de falta de Zeballos, no ângulo direito. Muricy aproveitou o terço final de jogo para dar chance a Osvaldo e a Pabon, que deixaram o banco praticamente apenas para serem cobrados.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade