Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Só três dos dez desfalques do Verdão trabalham no campo nesta quinta

William Correia São Paulo (SP)

Dos dez desfalques que o Palmeiras teve para enfrentar o Vilhena, oito continuaram sem trabalhar no campo nesta quinta-feira. Os únicos que apareceram no gramado da Academia de Futebol nesta tarde foram França, Wendel e Bruno Oliveira, já em fases mais avançadas de recuperação de lesão muscular.

França trabalha no gramado desde segunda-feira, dando voltas nos campos do centro de treinamento. Em recuperação de lesão na panturrilha esquerda, o volante teve como novidade no mesmo exercício a utilização de uma bola, que o jogador foi tocando com os pés e até dando algumas finalizações quando passava pelos gols.

Wendel, que lesionou a coxa direita há uma semana, durante a vitória sobre o Bragantino, apareceu depois do treinamento dos outros jogadores, quando já anoitecia na Academia de Futebol, dando voltas nos gramados, mas ainda sem tocar na bola. O lateral direito titular foi desfalque nas duas últimas partidas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Desfalque nos três últimos jogos por lesão na coxa direita, Wendel começou a correr no campo nesta quinta
Seu reserva, Bruno Oliveira, continuou com trabalhos específicos nos campos. Nesta quinta-feira, os exercícios foram feitos sob a supervisão do preparador físico Thiago Santi. O lateral direito de 21 anos está com dores musculares e encara sua segunda contusão em três meses de trabalho na temporada.

No departamento médico, continuaram fazendo tratamento Valdivia, com dores no tornozelo direito, Diogo, com problemas na coxa direita, Alan Kardec, Juninho e Wesley, machucados na coxa esquerda, Thiago Martins, em recuperação de cirurgia no joelho direito, e Fernando Prass, com torção no tornozelo direito. O goleiro chegou a ir ao gramado para conversar com colegas e acompanhar o fim do treino, mas sem se exercitar com bola.

No dia seguinte à vitória sobre o Vilhena, os titulares da partida que garantiu vaga na segunda fase da Copa do Brasil ficaram na sala de musculação e fizeram atividades regenerativas, como banheira de gelo e massagem. O resto do elenco foi dividido em dois times, trabalhando em campo reduzido em exercício com limitação de dois toques na bola para cada jogador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade