Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sócio são-paulino, Marin vota na situação em "gratidão" a Juvenal

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin esteve na manhã deste sábado no Morumbi, na condição de sócio titular do São Paulo, para participar da eleição do Conselho Deliberativo do clube. Ao sair do local de votação, ele deixou clara sua opção entre situação e oposição nas urnas, que fecharão às 17 horas.

"Vim aqui como um simples e modesto associado, mas que sabe reconhecer aquilo que está sendo feito de muito bom pelo futebol do São Paulo, pela entidade, que não se resume apenas ao futebol. Eu vi a força de seu quadro associativo hoje. E numa disputa totalmente democrática", disse, ao elencar uma série de elogios à gestão de Juvenal Juvêncio, que o ciceroneava pelo estádio.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Juvenal esteve sempre ao lado de Marin, em sua andança pelo Morumbi, na manhã deste sábado
"Ninguém desconhece a obra que o presidente Juvenal Juvêncio vem realizando à coletividade são-paulina. Grande obra no campo futebolístico e grande obra também no campo administrativo, que é muito importante. Se fala muito em legado hoje em dia, o legado que a própria Copa do Mundo vai deixar para o Brasil, mas também devemos nos lembrar que há muito tempo, Juvenal Juvêncio está deixando um grande legado à futura geração são-paulina", elogiou.

"Além do Morumbi, tivemos outros grandes melhoramentos realizados pelo São Paulo. Existem inúmeros, mas queria citar o Centro de Treinamento de Cotia, um sonho de Juvenal Juvêncio que se tornou uma grande realidade. E que tem servido, inclusive, de modelo para muitos centros de treinamento. A própria Granja Comary (local de preparação da Seleção). A nova Granja Comary, porque lá só restaram os alicerces. Tudo foi derrubado. E foi construída uma nova Granja Comary. Confesso que também encontrei inspiração em Cotia", continuou.

Marin e Juvenal são amigos próximos de longa data. O hoje mandatário do São Paulo foi uma das pessoas que mais trabalharam pela eleição de Marin como presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), em 1982. Trinta anos depois, também foi Juvenal um dos primeiros a manifestar apoio ao colega quando ele foi conduzido ao comando da CBF.

São Paulo substitui 80 conselheiros neste sábado: entenda o sistema da eleição

"Além dessa condição de sócio do São Paulo, vim cumprir um sentimento de gratidão, retribuir ao Juvenal as inúmeras atitudes de apoio a José Maria Marin", justificou o homem forte do futebol brasileiro, mostrando-se – ainda que não declaradamente – favorável à continuidade do grupo de situação no poder. Grupo que é liderado por Carlos Miguel Aidar, candidato a suceder Juvenal Juvêncio na eleição presidencial de 16 de abril.

Aidar, a propósito, foi quem convenceu Juvenal a fortalecer a candidatura de Marco Polo Del Nero (atual presidente da FPF) à CBF. Teria sido esse o motivo de a entidade levar ao Morumbi o último amistoso da Seleção Brasileira antes da Copa do Mundo, contra a Sérvia, em 6 de junho.

Neste sábado, o sócio do São Paulo elege 80 conselheiros que se juntarão a 155 vitalícios. O montante será o responsável por definir, daqui a pouco mais de uma semana, quem assumirá o comando do clube. O concorrente de Aidar é Kalil Rocha Abdalla, ex-diretor jurídico de Juvenal.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade