Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Vaiado, Neneca celebra virada sobre o Plácido: "No fim, todos sorriram"

Florianopolis (SC)

Quem foi ao Orlando Scarpelli na noite da última quarta-feira esperando uma goleada do Figueirense sobre o Plácido de Castro-AC, em partida válida pela primeira fase da Copa do Brasil, passou sustos. A surpreendente equipe acreana, após segurar um empate sem gols na Arena da Floresta, inaugurou o marcador em solo catarinense, aproveitando falha do goleiro Neneca. Porém, o Furacão do Estreito virou o marcador para 3 a 1, com dois tentos de Éverton Santos, e selou sua vaga na fase seguinte.

Vaiado após o tento visitante, que ocorreu na cobrança de falta de Douglas, aos 42 minutos do primeiro tempo, o experiente arqueiro alvinegro foi enfático em sua análise da partida: “Infelizmente, o jogo foi tenso. Acabamos vacilando no final do primeiro tempo, tomando o gol. Depois, tudo ficou mais nervoso. Mas o grupo é unido. Independente de quem joga, o Figueirense está sempre firme e forte. Conquistamos o mais importante, que era avançar de fase, e agora buscaremos o título”, expôs, em entrevista à Rádio CBN Diário, de Florianópolis.

Mesmo com os protestos alvinegros, Neneca se rendeu aos torcedores, que manifestaram apoio ao clube após o gol de empate, marcado pelo meia-atacante Éverton Santos aos 28 minutos da etapa complementar: “Eu só tenho a agradecer. Não foi fácil para a torcida, se tratando de um torneio classificatório, onde um gol acaba complicando tudo. Mas o importante foi o carinho de quem esteve nas arquibancadas. Infelizmente me vaiaram. Mas, no fim, todos sorriram”, discorreu.

Agora, os comandados de Vinícius Eutrópio terão pela frente o Bragantino, que eliminou o Lajeadense pelo placar agregado de 1 a 0.

Divulgação/Figueirense F.C.
"Infelizmente me vaiaram. Mas, no fim, todos sorriram", minimizou o contestado goleiro Neneca

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade