Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Valdivia fala em se aposentar no Verdão, mas deseja voltar à Europa

William Correia São Paulo (SP)

Com contrato até agosto do ano que vem, Valdivia tem sido alvo de rumores que o colocam fora do Palmeiras. O mais recente o coloca na mira do Flamengo. Mas o meia fala até em se aposentar no clube, mas admitiu que sonha jogar na Europa e não descartou ser negociado depois da Copa do Mundo.

“Gostaria de encerrar a minha carreira no Palmeiras, ter uma nova oportunidade na Europa...”, disse o jogador mais caro do elenco, se contradizendo na entrevista coletiva desta terça-feira e, depois, colocando a permanência no Verdão como algo que não o desagradaria se não conseguisse voltar ao continente no qual já atuou por Rayo Vallecano, da Espanha, e Servette, da Suíça.

“Quando falei em encerrar a carreira aqui é porque tenho esse sentimento hoje, no presente. Gostaria de voltar para a Europa, mas não estou desesperado, muito pelo contrário. Jogar no Brasil é muito bom, é um país que está sempre conquistando a Libertadores e estou disputando um campeonato que é um dos mais difíceis do mundo. Estou bem aqui”, avisou.

Mas o chileno não deu garantias de que cumprirá seu contrato. “Sempre fui muito claro e não há razão para falar diferente do que penso e sinto no dia a dia. Meu contrato vai até agosto do ano que vem e, até lá, vamos ver o que acontece. Ninguém sabe o que vai acontecer depois da Copa”, comentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Valdívia não escondeu o desejo de encerrar a carreira no Palmeiras, mas também citou a Europa.

“Não passa pela minha cabeça que são meus últimos jogos no Palmeiras. Estou tranquilo. Depois de muito tempo, venho em uma sequência de jogos e não estou pensando em sair. Quando tiver que sair, vou dizer que estou saindo, mas, por enquanto, não vou fazer isso”, avisou.

De qualquer forma, por enquanto, ele não cogita ir para o Flamengo. O camisa 10 soube dos rumores de que Osório Furlan, conselheiro do Verdão e dono de 36% dos direitos econômicos de Valdivia, o teria oferecido ao clube da Gávea, mas dificilmente aceitaria. “Seria muito difícil deixar o Palmeiras, estou muito identificado com o clube e sua história. Não me vejo jogando em outra equipe brasileira”, declarou.

“Não teve (o diretor executivo José Carlos) Brunoro, (o presidente) Paulo Nobre, (o gerente de futebol) Omar Feitosa nem ninguém da diretoria do Palmeiras falando que vai me vender. E ninguém do Flamengo manifestou interesse por mim. Então, não adianta olhar para o futuro. Eu me vejo no Palmeiras disputando o Campeonato Brasileiro”, prosseguiu o meia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade