Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Saúde de Juvenal em fim de gestão vira assunto entre jogadores

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O atacante Osvaldo já havia dito espontaneamente na segunda-feira que gostaria de ter presenteado Juvenal Juvêncio com o título paulista. Um dia depois, foi a vez de Souza, igualmente sem ser questionado sobre o assunto, revelar-se solidário ao presidente, que está adoentado e tem apenas mais duas semanas no comando do São Paulo.

Ao ouvir pergunta se a proximidade da eleição presidencial, a ser realizada na segunda quinzena deste mês, afetava de algum modo a rotina do elenco no CT da Barra Funda, Souza respondeu que nenhum jogador tem o costume de falar "sobre o que está acontecendo fora de campo" para, na sequência, revelar que o que é assunto no vestiário é a saúde do dirigente.

"É legal ressaltar que a gente queria ter vencido até para dar o título de presente para ele, porque ele teve uma história maravilhosa no São Paulo e, hoje em dia, se encontra em um momento difícil de sua saúde, em seu término de mandato aqui. Queríamos dar esse título para ele. Tudo o que ele fez não vai ser apagado, vai ficar na história. Até em relação à saúde dele, seria bem legal", falou.

Rubens Chiri/www.saopaulofc.net
Juvenal Juvêncio estava distante do futebol, mas foi ao vestiário do Morumbi na queda no Campeonato Paulista
Juvenal teve diagnosticado um câncer de próstata há mais de dois anos, mas diz que o problema foi estabilizado. O fato é que, desde o segundo semestre de 2013, no entanto, seu estado de saúde não tem sido dos melhores, motivo pelo qual se distanciou consideravelmente do dia a dia do futebol. Não foi mais visto no centro de treinamento e diminuiu as idas ao Morumbi.

Como o assunto tomou o ambiente dos atletas, no entanto, ninguém diz com clareza. "A gente ouve muito, ouve na imprensa também que o fim (de mandato) do Juvenal é triste, ele fez isso ou aquilo. Partiu de cada um de nós de tentar dar o seu melhor. Mas não teve conversa em relação a isso. Partiu de cada jogador tentar dar um presente a ele", comentou Souza, que foi contratado no início da temporada e "por tudo que ele tem passado na sua saúde", não teve contato com o presidente.

O novo presidente do São Paulo será definido em 16 de abril. Carlos Miguel Aidar, candidato da situação, e Kalil Rocha Abdalla, nome escolhido pela oposição, concorrem ao cargo. Antes disso, neste sábado, os associados do clube elegem 80 novos conselheiros.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade