Atletismo - ( - Atualizado )

Após bronquite, Marilson deve abrir mão de NY por Berlim ou Amsterdã

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Acometido por uma bronquite, Marilson Gomes dos Santos não conseguiu terminar a Maratona de Londres. Em recuperação da doença, o fundista deve abrir mão de competir em Nova York para tentar estabelecer uma boa marca em Berlim ou Amsterdã, provas consideras rápidas.

Mesmo longe das melhores condições físicas, Marilson resolveu participar da Maratona de Londres, disputada no último dia 13 de abril e vencida pelo queniano Wilson Kipsang. O atleta abandonou a prova na metade e, ao retornar ao Brasil, realizou exames que apontaram a bronquite.

“O Marilson é um atleta muito forte. Dificilmente fica doente ou se lesiona. Ele nunca tinha sofrido uma bronquite. Está chateado, porque treinou muito bem antes de competir em Londres e sabia que poderia fazer uma boa marca, mas esse tipo de coisa faz parte do cotidiano dos corredores”, disse o técnico Adauto Domingues à Gazeta Esportiva.

O atleta e seu treinador esperavam fazer uma marca pelo menos na casa dos 2h08min na Maratona de Londres. Com o abandono na Inglaterra, a dupla deve recusar o convite para tentar o tricampeonato em Nova York no dia 2 de novembro e apostar em corridas com percursos mais rápidos.

“A prova de Nova York é tão boa quanto as outras, mas com menor possibilidade de marca. A partir do momento em que não conseguimos o tempo esperado em Londres, surgiu a tendência de competir em Berlim (28 de setembro) ou Amsterdã (19 de outubro). Para o Marilson, é interessante se manter entre os melhores (tempos) do mundo”, disse Adauto.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Marilson Gomes dos Santos deve optar por uma maratona com percurso mais rápido no segundo semestre
A decisão será tomada em conjunto com o agente que cuida da carreira do fundista. Em 2014, Marilson espera fazer uma marca suficiente para disputar o Pan-americano de Toronto e o Mundial de Pequim, ambos em 2015 – deve haver uma concorrência doméstica com nomes como Franck Caldeira, Solonei Silva e Paulo Roberto de Almeida Paula.

Quinto colocado nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, Marilson Gomes dos Santos, 36 anos, alimenta o sonho de chegar ao Rio de Janeiro-2016 de maneira competitiva. Diante da idade de seu pupilo, Adauto Domingues prefere estabelecer planos a curto prazo.

“O próprio Marilson se cobra muito. Se ele não estiver mais correndo em alto nível, vai parar. Existe a chance de competir em 2016? Sim, existe a chance e o desejo. Mas isso depende do desempenho. Apesar de ele continuar bem, estou pensando ano a ano”, afirmou Adauto.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade