Futebol - ( )

Goleiro do Timão vê melhor momento técnico desde conquista do Mundial

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Ao histórico 2012 de Cássio, seguiu-se uma temporada difícil, repleta de problemas físicos. O goleiro do Corinthians começou o ano tratando o ombro esquerdo antes de machucar a coxa esquerda, o quadril, o punho esquerdo e a coxa direita. A última lesão foi a mais grave, e, quando ele se preparava para 2014, quebrou o dedinho da mão esquerda.

"Não tem como não ser corintiano"

Agora, o arqueiro parece finalmente saudável, o que explica sua boa forma. “Estou bem, graças a Deus. Tudo tranquilo, tudo em ordem. Espero que continue o ano inteiro assim”, afirmou, em uma entrevista à Gazeta Esportiva na qual apontou seu momento técnico atual como o melhor desde a excepcional atuação na conquista do Mundial, em 16 de dezembro de 2012.

“Acho que sim. Consegui ter uma sequência de jogos. No ano passado, eu me lesionava e, com o calendário apertado, não conseguia me preparar bem fisicamente. Isso me atrapalhou por eu ser um goleiro alto. Neste ano, estou conseguindo me preparar bem e mostrar meu potencial”, comentou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Cássio voltou a exibir a agilidade decisiva nas conquistas do Corinthians na temporada 2012
A estatura de Cássio (1,95 m) e a largura de seus ossos obrigam que ele esteja bem treinado para apresentar a agilidade que frustrou Diego Souza e Fernando Torres há quase dois anos. É em grande parte graças a essa agilidade, de acordo com o técnico Mano Menezes, que o Corinthians está há sete partidas sem levar um gol.

“É legal ser elogiado, mas este momento não se deve só a mim ou à linha defensiva. É o conjunto da obra que faz um time ser forte defensivamente. Se o ataque não faz a sua parte, fica difícil para o pessoal de trás, sobrecarrega. Acho que aconteceu isso no Paulista, a gente estava um pouco desorganizado. Conseguimos nos acertar e melhorar bastante”, explicou.

A última partida em que o camisa 12 teve a rede balançada foi justamente a derrota por 3 a 2 para o São Paulo, o adversário de domingo na Arena Barueri. Do mau resultado de 9 de março para cá, no entanto, a defesa alvinegra passou a exibir uma consistência que lembrou seus bons momentos sob comando de Tite.

“Tomar três gols não é uma coisa normal de acontecer, e a gente acabou tomando. Hoje, com certeza, evoluímos defensivamente em relação àquela época. Estávamos precisando de vitórias para correr atrás de uma classificação no Paulista, sem tempo para treinar. Agora, estamos em uma situação completamente diferente, na liderança do Brasileiro. Enfrentá-los de novo vai ser um bom teste”, apostou Cássio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade