Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Adaptável até ao Vietnã, Kardec faz Muricy pensar em São Paulo ideal

Helder Júnior São Paulo (SP)

Alan Kardec já está completamente adaptado ao São Paulo. Quem garantiu foi o comandante Muricy Ramalho, que trabalhou com o ex-atacante do Palmeiras nos tempos de Santos e começou a vislumbrar a escalação de sua equipe com a presença do reforço.

“A adaptação depende da personalidade do jogador. O Kardec, se for jogar no Vietnã, estará adaptado no dia seguinte. Ele é um desses caras diferentes, que tem facilidade. Tive o prazer de trabalhar com ele no Santos, e já era assim”, recordou Muricy, observando que o atacante não reclama da comida do CT da Barra Funda nem de outros detalhes de sua nova rotina.

Não foi só o cotidiano de Alan Kardec, no entanto, que mudou com a transferência para um rival. Muricy tem despendido muito mais tempo para vislumbrar a futura escalação ideal do São Paulo, que só passará a contar com o novo atacante após a Copa do Mundo – a negociação com o português Benfica foi sacramentada após o encerramento da janela de transações internacionais.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Já adaptado ao São Paulo, Alan Kardec recebeu muitos elogios do técnico Muricy Ramalho
“Penso nisso 24 horas por dia”, exagerou Muricy, cauteloso com a formação de um time que dispõe de jogadores badalados como Paulo Henrique Ganso, Alexandre Pato, Luis Fabiano e o próprio Alan Kardec. “Do pensamento à prática, a diferença é grande. Se eu pego o meu campinho tático, não perco jogo nenhum. Apenas o meu time se movimenta, né? Então, só vou ter certeza do que estou pensando quando colocar em prática. No papel, tudo está lindo. O problema aparece na hora em que o adversário se mexe.”

Conhecendo bem Kardec, Muricy acredita que o jogador possa atuar um pouco mais recuado do que na época de Palmeiras, colaborando com a armação e a marcação. Dessa forma, Luis Fabiano continuaria como o homem mais agudo do setor ofensivo são-paulino.

Por enquanto, Muricy ainda não testou as suas ideias para o futuro São Paulo nem mesmo em treinamentos. “O problema é que o Alan Kardec está treinando sem um objetivo. A meta seria jogar, mas ele terá que esperar um pouco para isso”, lamentou o treinador, ciente de que a inatividade é um problema inferior a uma adaptação ao Vietnã. “O Kardec estava consciente disso quando veio para cá. O tempo logo vai passar.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade