Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Após saída de diretor, Tigre quer se reerguer diante da Chapecoense

Criciúma (SC)

Este início de campeonato não está sendo dos mais fáceis para o Criciúma. Atualmente, a equipe figura entre os times da zona de rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro, ocupando a 17ª posição na tabela.

Após barrar o ataque colorado na última rodada, conseguindo um empate diante do Internacional por 0 a 0, com um homem a menos durante metade da partida, o Tigre não conseguiu evitar mais uma perda em seu plantel de trabalho. Nesta segunda-feira, o coordenador desportivo Márcio Correa, único remanescente da comissão técnica que conseguiu a permanência do time no ano passado, anunciou seu desligamento das funções administrativas do clube, alegando que precisa ter tempo para pensar em novos projetos.

Em se tratando da sequência de jogos, a equipe tem grandes chances de escapar da zona de rebaixamento já na próxima rodada, em caso de vitória. O Criciúma recebe a Chapecoense – que está na lanterna da competição – às 21 horas desta quarta-feira, no Estádio Heriberto Hülse.

Sobre o duelo regional no Majestoso, o lateral-esquerdo do Tigre, Bruno Cortez espera por um jogo muito difícil, argumentando que clássico é sempre muito complicado. “A Chapecoense é uma boa equipe e temos que ter humildade e manter a pegada da última partida para conseguirmos um resultado positivo”, analisou.

O confronto desta quarta à noite é de fundamental importância para ambas às equipes. Em caso de vitória sobre o rival, o Criciúma pode alcançar os sete pontos e se distanciar de vez da zona de rebaixamento. Porém, caso o Tigre não faça prevalecer o mando de campo e perca a partida, poderá ser ultrapassado pela Chapecoense, afundando mais ainda na tabela e mergulhando de vez na crise.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade