Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Aposentado, Léo detona diretoria santista: "Foi uma coisa fria"

Do correspondente Tiago Salazar Santos (SP)

Dez anos vestindo a camisa do Peixe, 455 jogos, oito títulos. O maior vencedor do clube após a Era Pelé. Um currículo invejável e digno de muito respeito. Este é o resumo da história do lateral esquerdo Léo, agora aposentado do futebol. Mas após tantas glórias, o fim da carreira não foi como ele esperava.

"Eu queria fazer dois jogos decentes, não terminar contra o Mixto. O estádio todo gritando o meu nome eu senti: acabou aqui. Falei para alguns jogadores no banco que senti isso. Sei que não aguento os 90 minutos. Jogador tem prazo de validade e eu tenho o meu. Mas 15, 20 minutos posso fazer. Mas não me foi dada a oportunidade de nada", lembrou o jogador de 38 anos.

O contrato de Léo com o Santos venceu no último 30 de abril e, apesar da vontade do jogador em seguir no elenco, a diretoria alvinegra optou por não renovar o contrato do jogador.

"Contaram uma história linda, comovente, quase chorei de tão triste. A historinha para chorar, contando de outros jogadores, era para falar que o contrato não seria renovado. Não me foi dado direito de nada, foi uma decisão unânime. Parecia que estavam lidando para um menino que saiu do juvenil para o profissional. Não existiu preparo, foi uma coisa fria", afirmou Léo, nesta sexta-feira, em entrevista coletiva marcada por sua assessoria pessoal.

"Não voltei a esse clube por dinheiro e eu provei. Quero ver um Santos diferente. Eu aprendi desde quinta-feira, perdendo noite de sono, chorando, como não se deve tratar um jogador. Fui marginalizado por eles, por toda a história, por tudo o que fiz de errado, pelas polêmicas. Fiz muita besteira. Não sou santinho, não. Estou mais para lobo mau do que para qualquer outra coisa. Resumir a minha história a uma página no site 'Obrigado, Léo' não dá".

Após ser ‘comunicado’ que não continuaria no Peixe, Léo não escondeu sua irritação e já não apareceu mais para treinar durante os últimos dias de contrato.

Ricardo Saibun/Santos FC
"Parecia que estavam lidando para um menino que saiu do juvenil para o profissional", disparou Léo

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade