Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Apresentado no Figueira, "conciliador" Ferreira nega atrito com Assunção

Palhoça (SC)

O Figueirense apresentou, nesta sexta-feira, seu novo treinador. Guto Ferreira, que foi anunciado pelo time catarinense na última terça-feira – pouco depois da demissão de Vinícius Eutrópio -, definiu-se como um técnico conciliador em sua primeira entrevista coletiva, no CFT do Cambirela, em Palhoça.

“Sou um treinador de diálogo. O mais importante não é o Guto, o Assunção, o Tiago Volpi, mas sim o Figueirense. A bola ensina que ninguém é insubstituível. Não adiante se achar dono de uma situação, porque você se acomoda e isso gera a queda”, afirmou Ferreira.

Logo em seu primeiro contato com os jornalistas catarinenses, o treinador fez questão de desmentir os boatos de que teria problemas com o volante Marcos Assunção, que rescindiu seu contrato com o Figueira um dia após a confirmação de que Ferreira seria o novo técnico.

Divulgação/Figueirense
Guto Ferreira estreará neste domingo, na partida contra o Criciúma, no Heriberto Hülse
“Eu não posso ter problema com uma pessoa com quem nunca trabalhei. Ah, fulano disse. Eu posso dizer para vocês que ouvi que o Brasil tem uma economia fantástica, educação de alto nível. Pessoas falam, cabe saber o que é verdade ou mentira. E no futebol, para ajudar, são poucos, para atrapalhar, muitos”, declarou.

Sobre reforços, Guto Ferreira admitiu a necessidade de contratar, principalmente um lateral esquerdo. “O Figueirense tem que atacar de duas maneiras: com reforços que venham para jogar e apostas por um preço acessível, porque isso vai dar o retorno ao clube.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade