Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Atletas do Verdão falam pouco após derrota e se apegam a segundo jogo

São Luis (MA)

Os jogadores do Palmeiras deixaram o campo rapidamente após a virada que cederam ao Sampaio Corrêa, na terceira derrota seguida. Pouco falando sobre o jogo e até da situação de Gilson Kleina, os atletas preferiram destacar que a vitória por 2 a 1 no Maranhão pode ser revertida com a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil no jogo da próxima quarta-feira, no Pacaembu.

Um dos poucos que se permitiram ser questionados sobre o sério risco de demissão do treinador, Marcelo Oliveira desconversou. “Isso não cabe a mim falar”, disse o volante, confiante na recuperação da equipe.

“Ninguém gosta de perder, é horrível perder. Temos que descansar agora, tem o jogo de volta ainda. Precisamos ter a cabeça no lugar agora e vamos dar a volta por cima”, apostou, em discurso similar, mas menos animado do que colegas que preferiram falar apenas no segundo confronto diante do campeão maranhense e que acaba de sair da terceira divisão nacional.

“Ainda tem o segundo jogo. O time está calmo, só precisa de 1 a 0 em casa”, definiu Lúcio. “É um jogo de 180 minutos. Tem jogo ainda em casa e lá, com certeza, vamos impor o nosso ritmo na nossa casa e tenho certeza de que vai dar a gente”, indicou Wesley.

Escolha para o Verdão abrir mão de três volantes no intervalo, Diogo minimizou a derrota. “Buscamos o resultado e tomamos dois gols. É o futebol, vai ter outra partida ainda”, simplificou o atacante que passou mais tempo no departamento médico do que em campo no clube.

Divulgação
Diogo viu a derrota para o Sampaio Corrêa como coisa do futebol (Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade