Futebol - ( - Atualizado )

Autoridades comemoram uso de transporte público e aprovam teste

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O principal teste do estádio de Itaquera para a Copa do Mundo foi comemorado por autoridades de todos os níveis após a vitória por 1 a 0 do Figueirense sobre o Corinthians. A administração do estádio, a Prefeitura de São Paulo, o Governo do Estado e o Comitê Organizador Local (COL) do Mundial mostraram satisfação com os resultados apresentados.

O principal motivo da celebração foi a adesão ao transporte público. Cerca de 90% dos torcedores foram à arena de metrô ou de trem e seguiram as recomendações específicas do trajeto que deveriam fazer. Os problemas registrados foram uma goteira decorrente da tempestade, dificuldades técnicas em um elevador e as falhas na orientação aos veículos que tinham estacionamento autorizado no estádio.

“Atendeu a expectativa. Evidentemente, não funcionaria 100%, mas é para isso que servem os testes. Estamos satisfeitos com a operação de nossas equipes. Agradeço muito aos voluntários, foram mais de 300 e estamos muito contentes. Alguns detalhes são de bastidores, como a chegada do ônibus ao vestiário, do jeito que será feito na Copa, a manobra para sair. Parece detalhe, mas é muito importante para nós”, afirmou o gerente de integração operacional do COL, Thiago Paes.

Declarações semelhantes deram Andrés Sanchez, responsável do Corinthians pelo estádio, Nádia Campeão, vice-prefeita de São Paulo, Raquel Verdenacci, coordenadora executiva do comitê paulista da Copa, e Ricardo Trade, chefe executivo do COL. Os responsáveis pela segurança também apresentaram um relatório parcial satisfatório e agradeceram a colaboração dos corintianos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Corintianos não gostaram do que viram em campo, mas colaboraram com a organização fora dele
O teste não foi feito com a capacidade total do estádio, que receberá 68 mil pessoas na abertura do Mundial e em outros cinco jogos. Ainda não foram liberadas as arquibancadas móveis, atrás dos gols, e o setor Oeste Superior foi utilizado apenas para profissionais de imprensa, sem ingressos vendidos. Incluídos os jornalistas, o público foi de 36.694 pessoas.

De acordo com o COL, as arquibancadas já passaram por quase todos os testes de carga e balanço, porém só serão efetivamente ocupadas no dia 12 de junho, quando o Brasil abrirá a Copa enfrentando a Croácia. O atraso nas obras, decorrente especialmente do acidente que matou dois operários em novembro, impediu um teste com arena cheio e estruturas finalizadas.

Fotógrafo reclama de furto
Pouco após a entrevista na qual as autoridades comemoraram o resultado do teste, o fotógrafo Alan Morici, que participava da cobertura do jogo, reclamou do furto de parte de seu equipamento. De acordo com ele, uma mala na qual estavam guardadas as lentes de sua máquina foi levada, tendo ficado para trás uma mochila. O fato teria ocorrido cerca de uma hora e 15 minutos após o apito final.

Morici informou que registrará um boletim de ocorrência e recebeu a atenção de voluntários e de profissionais de imprensa do COL. Estes prometeram acionar a segurança e ceder as imagens do local onde teria acontecido o furto – ao qual, em tese, só tinham acesso jornalistas, voluntários, funcionários da segurança e membros do COL.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade