Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Azarão, Jorginho vai ao Pacaembu e é visto por Nobre como torcedor

William Correia São Paulo (SP)

Na busca por um substituto para Gilson Kleina, Jorginho não está entre as preferências de Paulo Nobre, mas esteve no Pacaembu. Desempregado, o técnico foi flagrado assistindo à vitória sobre o Goiás e tentou se esconder. Sua presença no estádio, contudo, é comparada à de qualquer outro torcedor pelo presidente.

“O Jorginho é palmeirense. Veio ver o jogo do clube dele”, disse o mandatário à rádio ESPN antes de entrar em um táxi para deixar o estádio. O dirigente, assim como o diretor executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar Feitosa, se recusou a dar entrevistas quando passou na zona mista, na saída dos vestiários.

Jorginho, por sua vez, minimiza a sua presença no Pacaembu. Em entrevista à rádio Globo, o treinador afirmou que esteve no estádio mesmo na condição de torcedor. Ele, que já passou pelo Palmeiras como jogador e treinador, alegou também ter acompanhado presencialmente jogos de Corinthians e Santos recentemente.

Jorginho, contudo, certamente não gostaria de ser visto. Quando percebeu que era filmado por câmeras do canal a cabo Premiere FC, o técnico tratou de se cobrir com o capuz e logo viu um amigo se levantar para que ele não fosse filmado.

Presente ou não, Jorginho não é prioridade para Nobre. O presidente já foi informado de que não seria fácil tirar Ney Franco do Vitória e, por isso, Vanderlei Luxemburgo está no topo da lista. Também desempregado, Dorival Júnior, ex-jogador do Verdão e sobrinho de Dudu, um dos maiores ídolos do clube, é outro bem cotado.

De qualquer forma, Jorginho deixou boa impressão quando trabalhou como interino em substituição a Vanderlei Luxemburgo no Verdão em 2009. Perdeu espaço com a chegada de Muricy Ramalho e, entre outros clubes que comandou, se destacou levando a Portuguesa ao título da Série B do Brasileiro de 2011. No ano seguinte, porém, caiu com a Lusa no Campeonato Paulista.

Fernando Dantas/Gazeta Press
De olho em Luxemburgo e Dorival, presidente do Palmeiras crê que Jorginho foi ao jogo por torcer pelo clube

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade