Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Bernardo confia em fé de São Marcos e promete superar 11 gols do pai

William Correia São Paulo (SP)

O reforço apresentado pelo Palmeiras nesta terça-feira garante que não vestiu a camisa do clube pela primeira vez. Emprestado pelo Vasco até o fim do ano, Bernardo garantiu que sempre torceu pelo Verdão, prometeu fazer mais do que os 11 gols marcados pelo seu pai no clube nos anos 1980 e apelou ao ídolo Marcos como esperança de não se machucar.

“Espero a fé de São Marcos para sair essa desgraça de mim”, comentou o meia, que sofreu com lesão na coxa direita no Santos, em 2012, e operou o joelho esquerdo no ano passado, pelo Vasco. Problemas que o fizeram pouco entrar em campo e deram mais destaque a contratempos extracampo, como um sequestro em 2013.

“O que aconteceu, passou. Fui muito feliz no Vasco, com grandes jogos, sendo campeão da Copa do Brasil, deixei uma marca muito boa. Mas agora penso no Palmeiras. É uma nova oportunidade que tenho e procuro agarrar, fazer o meu melhor”, definiu. “Chego com cabeça tranquila, motivado e feliz só por ter recebido o convite. Vou procurar evitar lesão, o que é importante.”

O jogador recebeu do diretor executivo José Carlos Brunoro a camisa 31, que deixa de ser do lateral esquerdo Paulo Henrique, contratado como compensação do acordo com Bruno César. Independentemente do número, Bernardo disse já se sentir à vontade com o uniforme, como mostrou ao exibir um sorriso fixo durante toda a entrevista coletiva.

“É o destino, né? Minha infância sempre foi com a camisa do Palmeiras, lembro de muitos jogos de quando era criança acompanhando com meu pai e minha mãe”, comemorou, apostando no crescimento do time. “Espero ajudar o Palmeiras a voltar a ser o que era antes, com títulos e conquistas, e fazer parte da história do clube também.”

Fernando Dantas/Gazeta Press
Atrapalhado por lesões desde 2012, meia, palmeirense por conta do pai, o ex-atacante Hélio Doido, crê em volta por cima
O otimismo ficou claro na promessa que fez ao pai, Hélio Doido. “Meu pai ficou muito feliz. Brinquei que ele era um centroavante nato de fazer gol, mas que eu ia fazer mais do que os 11 gols dele no Palmeiras. É pouco gol, né? Dá para fazer mais”, comentou.

Sem a camisa alviverde, Bernardo já fez palmeirenses comemorarem ao marcar nos acréscimos o gol da vitória do Vasco sobre o Fluminense que adiou o título brasileiro do Corinthians em 2011 para a última rodada. Agora, já ouve do pai dicas para lidar com a pressão no Verdão.

“É uma hora e uma alegria muito grande para mim estar onde meu pai foi revelado. Ele pediu para eu ficar tranquilo, trabalhar, fazer o meu e ajudar meus companheiros. Disse que, independentemente do treinador que chegar, tenho potencial e qualidade para jogar e me desejou toda sorte do mundo”, contou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade