Futebol/Copa 2014 - ( )

CBF recebe aval de patrocinador para Brazuca em amistosos

Tossiro Neto Teresópolis (RJ)

Os amistosos de preparação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo (contra Panamá e Sérvia, na próxima semana) serão disputados com a Brazuca, bola da Adidas, marca que é a principal rival da Nike, patrocinadora da equipe nacional. Isso só foi possível graças a uma liberação de ocasião concedida à Confederação Brasileira de Futebol.

Na terça-feira, os goleiros trabalharam pela primeira vez com a bola, na Granja Comary. E a aprovaram, apesar de não citarem o nome da fornecedora rival de material esportivo. "É boa. Acho que os jogadores de linha também vão gostar", disse Júlio César, que atuou pelo Toronto no primeiro semestre e já vinha usando o modelo na Major League Soccer, liga americana em que atuam também times canadenses.

A avaliação do camisa 12 é de considerar, uma vez que ele foi um dos principais críticos da Jabulani e da Cafusa, bolas da Adidas utilizadas na Copa do Mundo de 2010 (na África do Sul) e na Copa das Confederações de 2013 (no Brasil). Sobre a primeira, inclusive, chegou a dizer, ao longo da competição, que parecia "bola que se compra em mercado", "horrível, horrorosa".

Montagem sobre fotos de Sergio Barzaghi/Gazeta Press e Fernando Dantas/Gazeta Press
Nos amistosos contra Inglaterra e França, antes da Copa das Confederações de 2013, bola utilizada foi da Nike; nesta terça-feira, goleiros já treinaram com o modelo da Adidas que será usada na Copa do Mundo
Por contrato - e também pelo fato de as seleções adversárias terem o mesmo patrocinador -, o Brasil jogou com bola da Nike nos dois amistosos que antecederam a Copa das Confederações, contra Inglaterra e França. Desta vez, às vésperas de objetivo bem mais importante, a CBF informou que, diante de Panamá (que usa Totto) e Sérvia (Nike), vai utilizar "a bola da Copa do Mundo", em Goiânia e São Paulo. Melhor para a equipe, destaca Victor, reserva de Júlio César.

"Para o goleiro, especificamente, é muito importante ter contato com a bola. É importante pegar a velocidade, a trajetória e o quique dela. O fundamental é se adaptar a ela o quanto antes, até porque a Copa do Mundo já está aí batendo na porta", salientou o goleiro do Atlético-MG, ao lembrar que a estreia, frente à Croácia, está marcada para 12 de junho, em Itaquera.

Até enfrentar Panamá (em 3 de junho, no Serra Dourada, em Goiânia) e Sérvia (em 6 de junho, no Morumbi), o elenco da Seleção terá mais cinco dias de trabalhos com a Brazuca, a começar por esta quarta-feira, primeiro dia em que os jogadores de linha irão a campo na Comary.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade