Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Ceni nega falhas em rebotes e se defende: "São várias dificuldades"

Arthur Carvalho, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Na manhã desta quinta-feira, a delegação são-paulina derrotada pelo Fluminense na última noite desembarcou na capital paulista de cabeça inchada. Tentando explicar a goleada sofrida por 5 a 2, mas praticamente sem encontrar respostas, um dos poucos que aceitou falar foi Rogério Ceni. Questionado por rebater duas bolas que resultaram em gols do adversário, o goleiro foi sucinto ao justificar os rebotes.

“Bola defendida, afastada da área. Campo molhado, também um campo rápido... São várias dificuldades”, listou o camisa 1 tricolor, esclarecendo os lances sucintamente.

Após anotar o primeiro gol do jogo em cobrança de pênalti, o capitão são-paulino não conseguiu segurar o chute de Conca pouco antes do intervalo. A bola explodiu no peito de Ceni e ficou viva dentro da área para Walter ganhar no corpo de Reinaldo e girar para empatar a partida. O Tricolor do Morumbi passaria mais uma vez à frente pouco depois, mas a etapa final reservava frustrações.

Primeiro Lucão fez contra ao tentar afastar bola levantada em escanteio, depois Walter ampliou em chute cruzado. Aos 28 da segunda etapa, mais um rebote de Rogério Ceni: o goleiro espalmou chute forte de Rafael Sobis para o meio e Wagner aproveitou para bater de canhota, fazendo o quarto do Fluminense. Na sequência ainda deu tempo de a defesa são-paulina afastar mal e a bola sobrar limpa para Conca cruzar e Sobis fechar o placar.

Rubens Chiri/Site Oficial SPFC
Capitão tricolor anotou seu 116º gol com a camisa do São Paulo, mas acabou vazado cinco vezes
Pelo menos em quatro dos gols sofridos pelo São Paulo na noite desta quarta-feira tiveram falhas coletivas da zaga, seja com os defensores desligados após rebotes de Ceni ou desatenção geral na bola aérea. Sem contar o gol contra de Lucão, que estava relativamente sozinho dentro da área. Apesar de todos os defeitos, o capitão Rogério Ceni diz “não sei” quando perguntado se houve falha coletiva na goleada.

Para se recuperar do revés, o Tricolor volta a campo às 21 horas (de Brasília) do próximo sábado, quando recebe o Grêmio. O duelo será no Morumbi e vale pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade