Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Com apoio da base, interino Amadeu dá chance aos jovens do Vitória

Salvador (BA)

Com a saída de Ney Franco do comando do Vitória, o auxiliar técnico da equipe, Carlos Amadeu, assumiu o grupo interinamente e terá a função de montar o time que enfrentará o Palmeiras, neste domingo, às 18h30 (de Brasília), no Estádio de Pituaçu.

A tarefa não será fácil, uma vez que o treinador terá uma quantidade considerável de desfalques. De cara, já não poderá contar com Ayrton, Luiz Gustavo e Vinícius, que pertencem ao Alviverde. Além disso, Cáceres e Dinei estão no departamento médico, e Souza, por sua vez, suspenso. Assim, Amadeu deu espaço a jogadores da base. No treino desta quarta-feira, Matheus Salustiano, Mauri e Alan Pinheiro tiveram chance no time titular. O trio foi campeão da Copa do Brasil sub-20, em 2012, sob o comando do próprio Amadeu.

O meia Mauri, que iniciou a temporada prestigiado por Ney Franco, mas perdeu espaço, acredita em um novo começo no Vitória com o técnico. “A gente conversa normalmente nos treinamentos. Gosto muito dele, gosta de trabalhar. Me fez aprender muito na base. É uma pessoa a quem eu devo muita coisa”, relatou ao Correio da Bahia.

Divulgação/Vitória
O técnico interino do Vitória, Carlos Amadeu, terá cinco desfalques para o jogo contra o Palmeiras. Por isso, deu chance a jogadores da base

O jogador ainda enalteceu as qualidades do comandante. “O Amadeu é mais participativo. Ele grita, chama, quer a perfeição em cada jogada. Não que o Ney não quisesse isso também. Mas o Amadeu enfatiza mais isso”.

Mauri também comentou sobre o esforço que fará para que o técnico seja efetivado. “Isso passa, sim, pela nossa cabeça. Não só pelo Amadeu, mas pelo time também. Ele me ensinou muita coisa. Torço pelo sucesso dele. Vou me dedicar muito por nós jogadores e pelo Amadeu”.

Neto Coruja, outro atleta formado na base, é mais um a exaltar o treinador. “Ele é uma pessoa que está preparada há tempo. Se fosse a diretoria, deixaria ele à frente do profissional. Se você reparar, nos últimos anos, todos os atletas que subiram para o profissional estavam preparados, para isso acontecer, é preciso ter alguém muito preparado por trás”, disse.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade