Futebol/Campeonato Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Com retrospecto ruim no início, Fogão não vê a hora do recesso

Rio de Janeiro (RJ)

Até o momento, a chegada de Vagner Mancini para ser o novo comandante, tendo o ex-técnico Eduardo Húngaro como auxiliar, não surtiu efeito positivo na equipe do Botafogo. Com a crise rondando General Severiano, tanto a comissão técnica do Fogão quanto a diretoria não veem a hora da parada no campeonato, em razão da Copa do Mundo, para acertar as pendências financeiras com a equipe, deixando os jogadores mais motivados a desempenharem um bom trabalho dentro das quatro linhas.

Apesar de já estar pensando no recesso, o Fogão ainda tem mais três partidas a disputar até completar as nove rodadas antes da parada para a Copa, duas delas fora de casa. No domingo, a equipe carioca recebe o Vitória, às 18h30 (de Brasília), em Macaé (RJ), no Estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, popularmente conhecido como ‘Moacyrzão’. Na quarta-feira seguinte, vai a Presidente Prudente enfrentar o Palmeiras, às 19h30 (de Brasília), e dia 1 de junho visita o Corinthians, na Arena Corinthians, às 16 horas (de Brasília).

O fato de jogar fora de casa parece incomodar a equipe botafoguense, que não conquistou um ponto sequer fora de seus domínios, perdendo as quatro partidas que disputou longe do Rio de Janeiro. Além disso, 70% dos gols sofridos pela equipe foram como visitante. Porém, como o momento não é dos melhores e há um prenúncio de crise no ar, atuar fora de casa e não ter a pressão da torcida pode significar um fator positivo.

Já no setor de ataque, o Fogão marcou praticamente 90% dos gols dentro da área. Dos nove tentos a favor, oito foram de dentro da área e apenas um de cabeça. O time carioca aposta na experiência de Emerson Sheik e no oportunismo do centroavante Pablo Zeballos para aumentar a estatística.

Após a derrota para o Grêmio no Sul, a delegação botafoguense foi dispensada das atividades nesta quinta-feira, devendo se reapresentar no CT nesta sexta, iniciando a preparação para a partida do fim de semana.

Apesar do time tomar a virada do tricolor gaúcho em Caxias (RS), o meio-campista Carlos Alberto teve a atuação elogiada pelo técnico Vagner Mancini. "Foi muito boa a participação do Carlos Alberto contra o Grêmio. Mesmo vindo de inatividade, demonstrou que vai ajudar bastante durante a temporada, pois sabe segurar bem a bola", analisou o treinador alvinegro.

O camisa 19 foi substituído após sentir dores na coxa e deverá passar pelo departamento médico para avaliar suas condições físicas antes de ser relacionado para o próximo jogo.

 O clube da estrela solitária ocupa a 17ª colocação, com quatro pontos somados em seis rodadas disputadas e uma campanha com quatro derrotas, um empate e uma vitória.

Em razão da campanha pífia no campeonato – somando apenas 22% de aproveitamento até agora –, a tarefa de somar pontos se torna essencial para que o Botafogo não esteja na zona de rebaixamento na retomada do Campeonato Brasileiro no segundo semestre.

Divulgação/Botafogo F. R.
Carlos Alberto sentiu dores ao final da última partida e é dúvida para pegar o Vitória (Foto: Vitor Silva/SSPress)

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade