Futebol/Copa do Mundo 2014 - ( - Atualizado )

Com Ronaldo e Rebelo, Jérôme Valcke lança projeto social da Fifa no Rio

Rio de Janeiro (RJ)

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, desembarcou no Rio de Janeiro nesta terça-feira para sua estadia que durará até a final da Copa do Mundo, no dia 13 de junho. Ao lado do ex-atacante e membro do COL (Comitê Organizador Local) Ronaldo, da atriz Fernanda Lima e do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o dirigente da entidade máxima do futebol participou do lançamento do Festival Football for Hope 2014, na Vila Olímpica Mané Garrincha, no Caju, Zona Norte do Rio de Janeiro.

"Gostaria de agradecer ao Caju, que abriu as portas para esse festival. Futebol não é só um jogo, é um esporte para todos no mundo se divertirem. Espero que tenhamos um grande festival aqui. Eu pretendo assistir alguns jogos. A Fifa está gastando dinheiro todos os dias, por todo o mundo, para ajudar projetos sociais. Queremos ajudar o mundo a ser melhor através do futebol, que é o maior esporte do mundo”, disse Valcke.

AFP
Ronaldo, Valcke e Rebelo posam para foto na frente do mural pintado pelo artista Rometo Brito e por crianças do Caju
Idealizado pela Fifa, o evento é uma espécie de Copa do Mundo Social e será disputado entre os dias 29 de junho e 10 de julho, por 32 times que reúnem jovens do Brasil e do mundo. Na estreia, por exemplo, uma equipe do Caju enfrentará um time formado por norte-americanos que fazem parte de um projeto social financiado pela Fifa nos Estados Unidos.

Ronaldo discursa e bate bola com Rebelo e Valcke

Maior artilheiro da história da Copa do Mundo, Ronaldo também discursou nesta terça-feira antes de brincar com as crianças. Ao lado de Aldo Rebelo e Jérôme Valcke, o Fenômeno foi a campo para disputar uma partida com os garotos que fazem parte do projeto no Caju.

“O futebol mudou a minha vida. Foi muito importante na minha infância e me ensinou valores como trabalhar em equipe. Crianças crescem sonhando em jogar uma Copa, mas a Copa é muito mais que um torneio, é um momento de visibilidade para um país e uma oportunidade para se deixar um legado social. Queremos que a Copa deixe mais do que boas memórias”, disse Ronaldo.

AFP
De calça e camisa, Ronaldo chegou a aplicar um rolinho no ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade