Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Contra tudo e quase contra todos, Martelotte segue à frente do Dragão

Goiânia (GO)

O que parecia impossível aconteceu: Marcelo Martelotte segue à frente do Atlético-GO, mesmo após as fortíssimas declarações do vice-presidente do clube Jovair. O treinador ganhou o respaldo da diretoria atleticana para comandar o time no próximo duelo, nesta terça-feira, às 19h30 (de Brasília), diante do ABC, no Serra Dourada. No entanto, esta poderá ser a última chance para mostrar serviço, já que a equipe ainda não venceu nas cinco primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro Série B.

Jovair chegou a declarar que deixaria o cargo caso o técnico não fosse demitido. Porém, na manhã desta segunda, em entrevista coletiva, o diretor de futebol Adson Batista concedeu entrevista coletiva e reinterou a permanência de Martelotte. Ele aproveitou para acalmar os ânimos e justificar as ásperas declarações do dirigente.

“Temos confiança no trabalho dele, sabemos que tem seu valor, é um cara correto e íntegro. Não foi a intenção de Jovair desrespeitá-lo, ele falou no calor da partida, é uma pessoa de fino trato. Vamos superar isso. Não vamos aturar jogador inverter papéis, às vezes tentando confrontar dirigente, aqui existe hierarquia. Entendemos que o Martelotte tem condição de dar continuidade ao trabalho e esperamos que amanhã ele inicie uma nova vida”, disse.

No entanto, mesmo colocando panos quentes na polêmica instaurada no clube, Adson não garante que as coisas seguirão como estão, já que, segundo ele, futebol é resultado e eles precisam aparecer o mais rápido possível no Atlético-GO.

“Você muda quando tem a convicção de que aquilo não vai dar certo. Agora, eu digo com sinceridade: se não tivermos resultados, se a gente não conseguir dar uma guinada, essa conversa minha é ilusória. Nós precisamos de resultado, o futebol é assim”.

Publicidade

Publicidade


PublicidadePublicidade


Publicidade


Publicidade